quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2010 - Está mesmo a dizer

Queridos leitores, tenho tudo menos tempo livre neste momento, por isso vou ser rápida.
Podia fazer um balanço do meu ano, é o que tenho feito mentalmente durante todo o mês de Dezembro. Foi um ano cheio, houve um pouco de tudo nesta vidinha atribulada, mas acima de tudo acho que foi um ano em que aprendi muito. Falo em termos profissionais, sociais e afectivos, foi todo um ano cheio de oportunidades.
No ano passado não estava com grande vontade de mudar de ano, tive um feeling que 2009 seria um ano difícil. Não me enganei, foi complicado, mas é mesmo assim, não é? É nas situações difíceis que se reconhecem os amigos e este ano posso com toda a certeza dizer que conheci amigos (e perdi outros).
Mas este ano estou ansiosa, mal posso esperar, talvez por me querer livrar deste ano danado, talvez por sentir que estou pronta para outro.
Só posso desejar que 2010 seja tão cheio quanto este e não duvido que seja, basta olhar para o número...2010...tão redondinho...só pode ser bom!

Um BOM ANO a todos!

(imagem de www.dreamstime.com)

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Carta ao Pai Natal

Querido Pai Natal,
bem sei que já vou um pouco tarde para pedidos e que até estou a esticar a corda porque este ano foste bastante generoso, mas gostava de pedir algo que é muito importante para mim.
Neste Natal queria um clone. Sim, um clone meu, com as mesmas características físicas e psicológicas, para me substituir em algumas tarefas, dado que ultimamente tem sido necessário estar em vários pontos ao mesmo tempo e agora que vou de férias gostava de deixar uma versão de mim atribuída às milhentas tarefas que tenho para fazer. É que de repente, no meio de todo o mau tempo que se tem sentido, choveu trabalho que não é brincadeira e sabes como eu sou, não consigo dizer que não! Não precisa de ter o mau feitio nem os quilinhos a mais, pode até gostar de ervilhas, desde que consiga atender telefones, responder a mails, desenhar esquemas eléctricos e programar, tudo ao mesmo tempo e com um sorriso.
Compreendo que seja complicado arranjar algo assim tão rebuscado e complexo como eu à última hora mas prometo que no próximo Natal deixo o clone em casa para te receber com leitinho e bolachas.
Muito obrigado pela atenção, beijinhos para ti, abraços às renas.

Pirralha

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Boas Festas Aéreas

Para quem acha que em Portugal não acontece nada:

Uma ideia muito gira e que aposto deixou mais de metade do público na dúvida se estava de facto em Lisboa ou em Nova Iorque!

domingo, 27 de dezembro de 2009

Será mesmo um gato?

Era uma noite de tempestade, lá fora ouvia-se a chuva forte que inundava a estrada e enchia os canteiros.
Já no meu quarto, eu ouvia o vento que fazia bater as portadas da casa do vizinho e o barulho era tal que me deixava na dúvida se não seriam as da minha própria casa. Em poucos minutos comecei a ouvir agitação lá em baixo, na sala. Fiquei atenta, os barulhos continuavam, abri a porta do quarto.
De imediato, no escuro das escadas, apareceu o Ciro a correr como uma flecha pelas escadas acima, miando aflitivamente. Nem me deu tempo de me baixar, trepou-me pelo pijama e veio enfiar o focinho no meu pescoço, ficando ali aninhado, a respirar pesadamente contra mim.
Embalei-o, sosseguei-o com voz calma, dizendo-lhe que estava tudo bem.
Entretanto o Lucas e a Niki já tinham subido as escadas também e observavam a cena sentados no escuro.
A respiração dele começou a suavizar, pousei-o no chão, fiz-lhe mais umas festas e fechei a porta. O temporal lá fora continuava, mas dentro de casa estava tudo calmo, já estava tudo bem.

É por estas situações que muitas vezes digo que o Ciro na verdade não é um gato. Tem muitas reacções que normalmente se atribuem aos cães. Como se comporta, como interage com as pessoas, como é dependente de mimos e atenção...quando distribuíram o espírito independente aos gatos, o Ciro estava na fila da amizade incondicional!

sábado, 26 de dezembro de 2009

O micro-cabaz de Natal

Este ano apeteceu-me fazer algo diferente. Apeteceu-me agradecer a todas as pessoas que me aturaram patetices o ano inteiro, o que não é nada fácil quando é um número considerável de gente.
Recorrendo aos meus dotes de culinária, fiz umas brincadeiras com uns potes de compota e uns doces de amêndoa e chocolate. Tudo feito na minha cozinha, na qual tenho um balcão demasiado pequeno para as minhas ambições doceiras e onde tenho de inventar locais para deixar as "obras" a arrefecer, longe da gula felina...

Dificuldades à parte, até fiz um rótulo com a marca, os ingredientes, a data de validade e essas coisas que os rótulos trazem, para dar um ar profissional à coisa.

Ficaram umas lembranças bem catitas (aqui ao lado estão algumas), rústicas e simples, só espero que o conteúdo seja aprovado pelos consumidores finais. Tão catitas que já alguns amigos me propuseram comercializar a coisa. Ora, sendo assim, cá vai:

Caro leitor do NãoGostodeErvilhas, encomende já o seu micro- cabaz de Natal. Se encomendar já, recebe não um, não dois, mas TRÊS maravilhosos lacinhos para enfeitar os seus frascos de compota!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Driving home for Christmas

Porque a vida é complicada e cheia de pormenores, aqueles a quem chamo família estão espalhados um pouco por várias zonas do país, o que me obriga a fazer uns quantos quilómetros todos os anos nesta altura.
Talvez por isso, ao longo dos últimos anos esta tornou-se na minha banda sonora favorita para o dia de Natal, enquanto percorro os muitos quilómetros para me juntar a outra parte da família:



A todos vós, que também fazem alguns quilómetros para estar com quem mais gostam, façam uma boa viagem.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Consequências ou Medidas Desesperadas?

Quando digo às pessoas que a minha vida não é fácil, raramente me dão razão, acham que exagero, mas tenho um exemplo fresquinho. Ora sigam o meu raciocínio:

Sabem aquele par de sapatos que têm lá por casa há imenso tempo, que até tem bom aspecto e que vos faz pensar porque raio não os usam mais vezes em vez dos mesmos de todos os dias, mas ao usá-los se lembram imediatamente porquê?
Pois bem, tenho uns desses (ou melhor...tinha!). Todos os anos, no Inverno, encontro-os no armário e penso "Olha, pois é, ainda tenho estes e que jeitosos que eles estão!" e lá os calço. Se tiver sorte, não chove e tudo corre bem, mas a verdade é que um deles tem uma racha na sola, que deixa entrar água e assim que piso uma poça fico com o pé encharcado. Todos os Invernos isto acontece, e devido à sonolência matinal ainda demoro uns dias a deixar de os calçar de manhã. Finalmente há uma manhã em que me lembro de não os calçar e voltam para o armário. Para o armário e não para o lixo....porquê? Porque quando estou a arrumar a casa, mais uma vez não me lembro do defeito na sola.

Pronto, agora que estão devidamente introduzidos no tema, ficam a saber que foi finalmente esta manhã que troquei de sapatos, farta de andar com um pé molhado o dia inteiro. E, vá lá, desta vez foram mesmo para o lixo!
Calcei umas botas, toda contente por ser uma pessoa tão lúcida logo pela manhã. Ora isto gera outro problema, porque no primeiro dia em que ando com um calçado diferente, tenho sempre algumas dificuldades, a conduzir, a subir escadas, etc., porque ainda não tirei bem as "medidas" ao novo tamanho do pé, e passo o dia a fazer fintas a mim própria.

Tudo isto resultou num espectacular número de circo, que efectuei na empresa (felizmente hoje está pouca gente), ao voltar do almoço. Tirei um café da máquina, e ao subir as escadas, tropecei e derramei o café em mim própria...cabelo, camisola, calças, uma festa!

Será isto uma consequência? Uma espécie de aviso de que esta cabecinha não está preparada para momentos de lucidez como lembrar-me de não calçar os sapatos rotos de manhã?

Ou será o meu sub-consciente que está a tentar ir preparar a consoada mais cedo?

Quando e COMO um homem quiser

A todos os leitores do Não Gosto de Ervilhas, desejo um Bom Natal, cheio de alegria e boa disposição.

A propósito de boa disposição e para ajudar quem ainda não tem o espírito natalício completo para logo à noite, trago-vos hoje uma prenda. Porque acho que há inúmeras formas de ver o Natal, seja na sua vertente religiosa, comercial e consumista ou apenas familiar, deixo aqui uma das hipóteses possíveis de encarar esta época, que me faz sempre rir e lembrar do presépio da minha avó.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Pior do que eu pensava

Liga-se para a linha de assistência técnica da EDP e aparece uma senhora a dizer "A sua zona sofreu um corte de energia. Esta será reposta assim que possível. Estamos sem capacidade para atender os pedidos de assistência técnica. Agradecemos a sua compreensão."

Espectáculo!

Os estragos na Zona Oeste

Na noite passada a zona Oeste foi assolada por ventos fortes que causaram o caos um pouco por toda a parte. Em Torres Vedras, ali a 20km da minha alegre casinha, a coisa ficou mesmo feia e a Protecção Civil teve de agir.

Por Mafra aconteceu um pouco de tudo, a estrada estava cheia de ramos, pedras e lama, havia sinais arrancados e alguns telhados destruídos. Eram 04h00 quando acordei com o barulho da tempestade, abri a janela e o vidrão que costuma estar à minha porta tinha atravessado a rua. Esta manhã já estava na descida para as minhas traseiras. Andou uns bons 30m espalhando vidros e garrafas pela rua fora.

Mais ou menos às 04h00 foi também quando faltou a electricidade. Esta manhã ainda não tinha sido reposta e ouvi que a situação é semelhante um pouco por toda a costa Oeste. E o pior é que a previsão não melhora nos próximos dias....

Fim de semana doceiro

Para além de aventuras em Ourique, o meu fim de semana foi passado na cozinha. Nem parece meu...
No sábado a preparar uns doces para fazer umas surpresas natalícias aos amigos, no domingo a preparar bolos para os lanches de Natal desta semana.
Já não posso ver chocolate, açúcar e outras coisas doces à frente e ainda não é Natal!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Não deixa de me espantar

Se há boa fonte de material para acender lume em casa, são as estradas do Alentejo. Em cada viagem que faço por estas alturas, paro sempre para me abastecer na beira de uma estrada qualquer. Do lado de cá da vedação, como é óbvio, que as pinhas que caem do lado de cá não têm dono!
Na minha última recolha, com o frio que tem estado e numa zona que já deve ter sofrido umas quantas geadas este Outono, encontrei esta pinha que já tinha 3 rebentos a sair dos pinhões.
A capacidade que a Natureza tem de sobreviver é algo que me faz sempre sentir do tamanho de um pinhão.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Sempre a inventar

Penso às vezes que de facto não é nada fácil aturar-me...e pior ainda, gostar de me aturar!
Esta cabecinha não pára e a última mania que me deu foi tentar convencer o HQNA a meter-se no mundo do automobilismo. Basicamente é direccionar para pistas a sério a panca da velocidade que ele já tem. E se possível introduzir o factor lama, o meu preferido! :)

Vai daí, uma visita ao site da Federação Portuguesa de Automobilismo, em busca da próxima prova, e lá fomos ontem ver o Rally Vila de Ourique, do Campeonato Regional de Ralis Sul 2009.
Graças a um agente GNR distraído, quase falhámos o evento, porque nos mandou ir comer qualquer coisinha que aquilo estava no intervalo. Por acaso quando fomos comer qualquer coisinha, encontrámos o local de concentração e lá ficámos a ver os carros, os condutores, a parafernália de comandos, ferros e alterações em carros perfeitamente normais. Desde Peugeot 205's , Citroen AX's a Mitsubishi EVO's , havia um pouco de tudo e percebia-se perfeitamente quem tinha o chamado "paitrocínio" ou não.
Fizémos uma data de quilómetros para ver apenas a parte "parada" da corrida, mas valeu a pena. O HQNA entusiasmado a ver os motores, as estruturas e o material. Eu a fazer já o filme todo, o Charuto coberto de autocolantes da empresa do HQNA e cheio de botõezinhos no tablier (até podia ter um para tirar cafés), e nós os dois vestidos com aqueles fatos de macaco almofadados e sapatinhos de bailarina, capacete com intercomunicador e palhinha para a "jola".

A notícia do evento está aqui: http://www.regiao-sul.pt/noticia.php?refnoticia=100919. Posso garantir que este Mitsubishi EVO fazia um barulho assustador, cheguei mesmo a pensar que tinham partido qualquer coisa pelo caminho, mas aparentemente não, era mesmo assim!

Este ano não há mais rally's, diz que vem aí a época das festas. Para o ano lá estaremos caidínhos no próximo, mas desta vez não confiamos nos GNR's...

sábado, 19 de dezembro de 2009

Red Bull Air Race 2010 - LX!!!

Ora aí está uma excelente notícia: http://www.ionline.pt/conteudo/37904-red-bull-air-race-muda-se-o-tejo.

Depois de 3 anos consecutivos a ocorrer no Porto, a Red Bull Air Race mudou-se para Lisboa, e será feita entre a Torre de Belém e a Ponte 25 de Abril, em 2010.
É claro que esta mudança não foi pacífica mas o pessoal do Norte que me desculpe, não se trata de ser a capital ou não, Lisboa é um local mais central, que permite aos habitantes do Sul virem assistir também, com menos custos. Isto vai permitir que o evento tenha muito mais público a assistir, a não ser que os nortenhos amuem e não venham!
Entretanto este assunto já deu azo a uma novela extensa, que podem acompanhar por estas notícias fora: http://www.publico.clix.pt/Search/1/?q=red%20bull%20air%20race

Não acho que deva ser sempre no mesmo local, seja em Lisboa ou não, acho que todos os anos deveria ser possível às autarquias apresentarem-se a concurso para acolher o evento, tornando tudo mais apelativo para a organização, para o público e para o turismo.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Almoço de Natal da Ex-Empresa

Claramente ainda há gente que não lê o meu blog...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Sem protocolo

Acho muito mal isto dos sismos acontecer de noite.
As placas tectónicas deviam ter mais respeito pelo pessoal que trabalha, que às 01h30 já está a dormir para depois levantar às 06h30 para passear os cães!
É óbvio que ao acordar, ouve-se as notícias e percebe-se que se perdeu a emoção toda, está mal!
É favor agendarem isso dos sismos para horas decentes, de preferência durante o horário de expediente, que é para a malta ter qualquer coisa emocionante para fazer durante o dia.
Obrigado e bom dia.

Robin Hood 2010

Já se perde a conta ao número de versões das aventuras de Robin Hood.
Vem aí mais uma e como fã que sou, estou em pulgas:

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

BD Rapidinha XII

Só para celebrar o facto de ontem ter acendido a lareira pela primeira vez neste Inverno (que na verdade ainda é Outono), tomem lá uma BD Caseira. É pequenina que isto do frio encolhe tudo, até a vontade de tirar fotos!
A mim não me encolhe mas aumenta-me a electricidade estática, estou farta de apanhar choques nos carros, até nos carrinhos de supermercado, e o meu cabelo está tão liso que não se segura com elásticos. Roam-se de inveja, asiáticas!
Na verdade isto tudo é só mesmo para mostrar a mantinha nova que comprei aos meus meninos, por 2,30€ na loja do chinês...

É só espreitar no BD Caseira: Diz que está frio!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O Frio dá-me Mau Feitio

Locutor RCM - "Lá fora estão 5ºC, agasalhe-se bem antes de sair..."
Eu - "Cinco graus aonde, ó palhaço??? O meu carro diz ZERO!!!"


E depois saiu-se com esta:

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Em Contagem Decrescente

Faltam exactamente 17 dias para o fim do ano, mas mais importante ainda faltam 14 para as minhas férias. Ando cansada, sem paciência e a precisar de espaço. Não se trata de espaço físico, não estou assim tão gorda, mas de espaço mental.
Quando começo a ter de me esforçar demasiado para responder com calma, naturalidade e se possível com um sorriso, mesmo a quem merece, é sinal de que estou esgotada e preciso de recarregar a bateria da simpatia.
Este fim de semana fugi, foi mais ou menos uma fuga forçada, para cumprir obrigações desportivas. A estadia foi num local excelente, não me lembro da ultima vez que fiquei num sítio tão agradável, até gatos carentes de festinhas havia! E melhor ainda, estava entre amigos, muito disparate, muita conversa ao sabor de um copo de vinho.
No entanto, acho que não era bem isto que preciso porque em todo o tempo que lá estive só conseguia pensar que gostava de repetir este fim de semana, mas acompanhada de outra forma, outras pessoas, se calhar só uma. Tive a certeza disto na volta para casa, quando vi este céu. Tão romântico, ali a olhar para o pôr-do-sol, dentro da carrinha, só nós os 8....

domingo, 13 de dezembro de 2009

Top Gear com o que há

Devido a umas teimas minhas com o controlo de tracção da Mégane, troquei de carro por uma semana com o Homem-Que-Não-Assina, e fiquei com uma carrinha Laguna.
Ao início toda contente por ter trocado por um carro superior, imaginei a minha semana fantástica ao volante de um carro de maior cilindrada, maior segurança, maior tudo!
Depois de uma semana a testar a Laguna, sinto-me de facto mais segura lá dentro do que na Mégane, mas faltava-lhe algo, não sabia bem o quê até perguntar ao HQNA o que achou ele da Mégane. Depois de me confirmar que de facto com chuva não é grande espingarda, disse-me que é mais gira de conduzir que a Laguna. Ora aí está o que me faltava! Conduzir a Laguna é seguro e confortável, sim senhor, mas é chato! É tudo demasiado sossegado e não acontece nada. E que saudades eu tenho da Mégane! Mesmo a fugir na estrada molhada e tudo!

Tudo isto me faz lembrar uma série de que ambos somos fãs, o Top Gear. Neste excerto eles comparam um BMW M3 com um Audi S4, concorrentes no mercado, e vejam bem o resultado. Saliento em especial o momento musical ilustrativo das performances de cada carro que acontece mais ou menos a partir dos 2:30 minutos. O que preferem: um jantar em casa ou um barbecue na praia?

sábado, 12 de dezembro de 2009

Almofadinha de Alfinetes

Desculpem, eu sou um bocado nova nestas coisas da costura, mas é suposto as almofadinhas para alfinetes tentarem roubar as fitas métricas, tesouras e outros utensílios de costura e adormecerem em cima dos tecidos que estamos a trabalhar?

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Será de ser Sexta-Feira? Naaaaa!

Saí à hora de almoço e descobri um dia lindo, com um sol quentinho que até faz esquecer o frio que tem estado.
Entrei no carro, liguei o rádio, depois do zapping matinal nem sabia onde tinha parado. Estava na Rádio Radar e eis-me de repente a cantar agarrada ao volante:

Always Look on the Bright Side of Life

Esta noite sonhei que me roubavam o carro.
No meio de um enredo sem qualquer sentido, onde eu ía passar férias a Sesimbra com os meus pais, como há 20 anos atrás, havia detalhes actuais misturados com recordações antigas.
Eu ía lá ter na minha fabulosa carrinha Mégane de tecto panorâmico e na primeira manhã, ao acordar, ía à varanda (igualzinha à da minha casa) e a carrinha não estava lá!

Dizem que os sonhos revelam muito sobre nós, que não nos deixam mentir a nós próprios porque revelam os nossos desejos mais escondidos e a nossa verdadeira natureza.
Pois, no sonho, sabem qual foi a minha primeira reacção?

Num misto de incrédulidade e satisfação, depois do choque inicial, gritei entusiasmada:
"MÃE! Roubaram-me a Mégane! É agora que vou comprar um BMW!"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

PAM!

Lembro-me com alegria dos tempos em que trabalhava numa empresa pequena, diria quase familiar, onde cada chegada de uma encomenda era uma festa, com direito a espectáculo de pirotecnia e tudo.
Os produtos vinham acondicionados dentro das caixas com aquelas batatas fritas de esferovite amarelas, ideais para partidas de Carnaval (sim, fui vítima, eu e o meu Cordobamobil!) ou então com estes sacos de ar, excelentes para pregar sustos aos trabalhadores mais concentrados.
Era muito fácil, bastava escolher um funcionário que estivesse totalmente embrenhado numa tarefa qualquer, colocar os sacos no chão atrás dele e saltar-lhes a pés juntos para cima. Era aqui que começava a pirotecnia, quando a vítima escolhia aleatoriamente um objecto para atirar aos "saltitões"!

Estou agora numa empresa maior, onde se respira um clima socialmente correcto e onde só consigo imaginar as consequências de tais actos! Mas uma coisa é verdade, sabe tão melhor vir trabalhar quando se pode misturar um bocadinho de brincadeira no dia!

Já agora, dado o volume de tráfego que chega a este blog com a busca Google "como provocar um ataque cardíaco", aqui fica mais esta dica...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O meu atelier

Depois de meses e meses de um perfeito caos de papéis, pastas, peças, ferramentas e outros objectos não-definidos, eis que consegui finalmente arrumar aquilo a que chamo orgulhosamente: "O meu atelier".
Aqui se fará muito trabalhinho de costura, bricolage e outras manualidades. Estão a ver a cadeira? Fui eu que estofei e entra já directamente para uma tag que vou criar agorinha mesmo: "Fui eu que fiz".
Assim de repente o atelier está montado para Costura, porque o primeiro projecto são uns painéis de tecido para as portas daqueles armários ali atrás, seguido de umas cortinas para o meu quarto.

Comprei há muito tempo uma daquelas máquinas de costura pequeninas, que se vendem no LIDL a 19,99€, que coitadinha, fartou-se de trabalhar e mistério dos mistérios, ainda funciona! Fez as cortinas da sala, remendou vezes sem conta camas de cães e gatos e fez ainda alguns arranjos em vestuário.
Tive uma das maiores alegrias da minha vida quando o meu avô me deu esta máquina de costura "à séria", que era da minha avó! (Sim, contento-me com pouco...mas ainda tenho muito ano pela frente para me acontecerem alegrias maiores.)
Esta maravilha da técnica veio dar descanso à desgraçada do LIDL e é capaz de fazer não-sei-quantos pontos diferentes, cose para a frente, cose para trás, cose de volta, eu sei lá, acho que só não "cose" arroz!

É uma Borletti 1100 automática, que alguns coleccionadores de antiguidades já incluem nos seus espólios. É um modelo de 1956, da autoria de Marco Zanusso, um arquitecto e designer industrial italiano. Para além de diversos trabalhos de arquitectura, no campo do desenho industrial, criou vários objectos que ajudaram a definir o design italiano no mercado internacional, exemplos disso são esta Borletti, a televisão Doney da Brionvega (em 1962) e vários produtos das marcas Arflex, Kartell e Siemens.

Na minha ambiciosa ingenuidade gosto de me ver como uma coleccionadora de antiguidades (2 máquinas de escrever, 3 ferros de engomar e o Lucas!) e fiquei toda contente por ter tão importante marco do design industrial na minha colecção!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Côcos...err...Festas Felizes

Mais um ano, mais um Natal e mais uma vez as iluminações natalícias do Monte Abraão a apanhar de surpresa quem passa pela estação Queluz-Massamá.
Desde que me lembro que, neste pequeno pedaço de jardim, todos os natais colocam 3 coqueiros, que de noite acendem em verde fluorescente.
É bonito sim senhor, mas todos os anos olho para os coqueiros e ponho-me a pensar que raio deu na cabeça da Junta de Freguesia para adquirir enfeites natalícios de Bora-Bora...

Será que estava em promoção nas Tele-Vendas?
"Compre já hoje 3 magníficos presépios de rotunda! Seja dos 10 primeiros a ligar e oferecemos ainda 3 coqueiros iluminados!"

Ou no Media Markt:
"O menino Jesus nasceu em Belém? Não senhor, foi nas Caraíbas! Eu é que não sou parvo!"

Ou mesmo no Pingo Doce:
"Compre os seus enfeites de Janeiro a Janeiro! O presépio só no Natal mas o coqueiro é o ano inteiro!"

Ou então aquilo na verdade são árvores de Natal, mas quem as montou estava com pressa e não pensou bem na distribuição dos ramos e das bolas.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Um dia na Baixa

Sábado foi dia de passeio. Com a desculpa de ir à "Feira dos Tecidos" comprar retalhos para as minhas costuras acabei por passar o dia todo na Baixa.
Tudo começou com um pequeno-almoço na Pastelaria Suiça, seguido da visita à "Feira dos Tecidos" onde tive de me conter para não trazer todos os retalhos coloridos que me saltavam à vista.

Seguiu-se um pequeno intervalo no itinerário, para ir fazer o exame médico desportivo, onde a máquina do electrocardiograma teimava em não me detectar a pulsação de forma nenhuma. Depois de muito trabalho a convencer a máquina de que afinal estou viva, lá continuei na minha passeata pela Baixa.

Desde a Avenida da Liberdade até à Praça do Comércio, ruas e ruas cheias de gente, montras e ruas enfeitadas de espírito natalício.
Uma das coisas que gosto na Baixa é o facto de ainda haver lojas especializadas. Há uma chapelaria, uma luvaria e pelo menos duas lojas de ginginha. Comprei uma garrafa ao mesmo tempo que um senhor de idade ao meu lado bebia um copinho de penalty. Mais tarde, em casa, quando molhei os lábios na dita ginginha, quase me faltou o ar, e só aí percebi a valentia daquele senhor...

Ora, seguiu-se um almoço de fast-food e mais um passeio a ver montras até ao Chiado, para ir beber um cafézinho na Brasileira, ao lado do poeta.
Uma voltinha ao Largo do Camões e toca a voltar para baixo, que já me doem as perninhas...

Na descida, só mais uma paragem, numa livraria para comprar um livro para o Homem-que-não-lê. Parece mentira mas é verdade, conseguimos encontrar um livro que me parece que ele consegue ler até ao fim!

Nem a chuva intermitente impediu as centenas de pessoas que povoavam a Baixa. Muita confusão, muito consumismo, mas muito giro. Um dia cheio e de repente o fim de semana parece muito maior!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Onde é que eu já vi isto?

Mais aqui: http://www.simonscat.com/

Com o cérebro feito em papa

Ontem à noite cheguei à conclusão que a junção de comprimidos anti-gripais com sumo de tangerina provoca diminuição da massa cerebral cinzenta:

"Estou cheia de frio, ou tenho febre ou é do desarrefecimento global!"

Há muitos anos atrás, no liceu, iniciei uma obra intitulada "O Livro das Bácoras", onde ía compilando os disparates que apanhava nas conversas e discursos alheios (e próprios também, diria até que um terço delas eram minhas...).
Esta do "desarrefecimento" era digna de entrar para o Top Bácoras 2009!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Procura-se Árvore de Natal Indestrutível

Alguém me sabe dizer qual a data indicada para montar a árvore de Natal?
Encontro as mais diversas opiniões e soluções.
Em Agosto deste ano fui à alfândega de Lisboa levantar uma encomenda e já tinham começado a montar a deles.

E agora estão vocês a pensar: isto é que é um blog organizado, tirou fotos em Agosto já a pensar no post de Dezembro. Não, lamento, mas não foi nada disso. Tirei a foto a pensar escrever um post em Agosto, mas esqueci-me.

Há quem diga que é exactamente um mês antes do Natal, há quem diga que é na primeira semana de Dezembro, parece-me a mim que é conforme a disponibilidade de quem vai buscar a caixa ao sotão...

Na minha casa ainda não houve tempo para estabelecer tradições na montagem propriamente dita, mas já há rotinas... Só há 2 anos desde que tenho árvore de Natal mas sei perfeitamente que a partir do dia em que a monto terei de a voltar a montar todos os dias até ao dia da desmontagem, graças aos 3 monstrinhos felinos cleptomaníacos que habitam lá por casa e que teimam que a árvore fica muito melhor ao natural.
Basicamente, em minha casa, a decisão da data da montagem passa por decidir quantas vezes quero montar a árvore de Natal por ano!

Já pensei em colar os enfeites à árvore com Super-Cola 3, ou cosê-los nas grinaldas de enfeite, mas cheira-me que a teimosia em arrancá-los seria mais forte resultando em algo como isto.
Também podia virar-me para a engenharia e engendrar um sistema anti-furto-felino, de forma a que qualquer movimento perto da árvore ligasse o aspirador no máximo, mas parece-me um investimento demasiado grande em decorações natalícias. Além disso, era capaz de afugentar também o Pai Natal e isso é que não pode ser!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

BD Caseira XI

Apesar de não gostar de me apresentar como autora, debato-me frequentemente com dilemas de autor, neste preciso caso com o dilema de a última publicação ter sido um sucesso e agora qualquer coisinha que eu publique, por muito trabalho que me dê e muito giro que seja, vai ficar sempre aquém das expectativas do público. Estou a falar da BD Caseira e da famosa edição "Cheiro a Novo", mais conhecido como "a da bufa no Charuto".
Peço desculpa por não publicar BD's à velocidade que os leitores desejam ou com o espectáculo de efeitos especiais a que os habituei na última edição (sim...eram efeitos especiais, as meninas não fazem aquilo!), mas têm de compreender que estou dependente de muitos factores, entre eles a falta de tempo, a imaginação aliada às fotos disponíveis e a boa disposição dos fotografados!

Publiquei hoje a 11ª edição da BD Caseira, que representa aquela cena bem conhecida de quem tem gatos em casa...porque será que se sentam sempre em cima do que estamos a utilizar?
Ide ver então: O Pisa-Papéis no BD Caseira.

Eu apareci na MTV!!!

Lembram-se da minha noite no Cabaret? Pois, a MTV também lá estava.
A imagem do público é extremamente tremida e escura, mas eu estou lá, na mesa mesmo mesmo mesmo em frente ao microfone!

É ver aqui: vj_blog

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Espera lá...

É impressão minha ou o Pingo Doce continua a insistir naquela música parva, e agora ainda por cima, com produção natalícia?
Não chegam já as centenas de protestos que circulam na net contra o perigo de esgotamento nervoso de quem ouve aquela voz esganiçada de hora a hora?
No outro dia entrei na dita loja e constatei que é verdade o que diziam por aí acerca de a música passar nos altifalantes do supermercado, praticamente de 5 em 5 minutos. Li há tempos que está cada vez mais em voga o método de marketing de colocar música incómoda (techno, trance, etc...) nos espaços comerciais, pois incita a que as pessoas se decidam mais depressa a comprar. Mas esta musiquinha parece-me a mim que já passa o limite do incómodo...porque a mim só me fez sair de lá mais depressa, sim senhor, mas com menos coisas na mão!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Copos, peixes e ácidos

Quando eu era pequena tinha um dom especial para partir copos. Lembro-me perfeitamente de uma fase em que era dia sim, dia sim e lá ía aos poucos diminuindo o serviço de copos da minha mãe. Tenho até a impressão que às vezes bastava alguém ter um copo na mão quando eu entrava na cozinha e pimba, o copo estava no chão! As colecções de copos sucediam-se umas a seguir às outras, a minha mãe tentava copos mais altos, copos mais largos, copos mais grossos, mas todos tinham o mesmo destino, excepto um! Era um copo horrível, castanho, pequenino que não dava para nada, nunca ninguém o queria e era inquebrável! Chegou a cair da prateleira, bater no balcão de mármore e depois no chão e ficar intacto! Raisparta o copo que não se partia! A minha mãe passava-me o copo para as mãos imensas vezes, na esperança que a minha maldição funcionasse, mas nada!

Ora, o aquário principal (e agora o único) lá de casa, após desleixo prolongado da minha parte, acabou por ficar apenas com um habitante. Olho para o aquário todos os dias com aquele pensamento recorrente: "Tenho de tratar de ti!", mas é como as dietas...começa sempre amanhã!
O tal habitante é um limpa-fundos chinês (Crossocheilus Siamensis), peixe que comprei unicamente para tentar dominar o problema das algas, e do qual nunca gostei, porque além de não limpar algas coisa nenhuma, cresceu de forma estúpida, tornando-se maior que os peixes que supostamente seriam a atracção principal do aquário. Não toco no aquário há meses, o ph está altíssimo (8 ou 9), comida não dou (coma as algas e é se quer) e aquele parvalhão, gordo que nem uma pipa, lá anda todo contente a passear em 100L de água alcalina só para ele! Faz-me lembrar o raio do copo castanho!
Estou a planear alterar o equilíbrio do aquário, de forma a poder alojar peixaria de ph 6 um dia destes. O gordalhufo estúpido vai levar com um estalo de ácido em cima que até vai soprar fumo das guelras! Já o estou a ver..."Minha....yoooooo.....ganda moca!!!!Yahooooooo!".

Isto leva-me a uma questão filosófica: Porque é que são sempre os menos desejados que sobrevivem? Qual barata em pleno ataque nuclear...

Imeeensa Paprika

Ontem à noite fiz isto para o jantar:

Não vos lembra nada?

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O Reader é um espectáculo

Há muito que comecei a utilizar o Google Reader para ler os blogs que sigo. A lista que mostro no meu perfil é apenas dos blogs amigos, porque a minha lista de leituras cresce a olhos vistos e o Blogger já não me satisfaz para ter a minha leitura organizada.
Quanto mais utilizo o Reader, mais contente fico com as funcionalidades que encontro. Já não o utilizo só para ler blogs, mas também para outros tipos de conteúdo, desde que estejam em feed. E sou de tal modo geek que já tenho a minha lista organizada por pastas, de maneira a ler primeiro os temas que me interessam mais: blogs de amigos, receitas, comics, etc.

E sabem o que encontrei? A nova rubrica do Nuno Markl em feed RSS!!! Está resolvido o problema de nunca conseguir ouvir o rádio quando quero. É só adicionar ao Reader:

Agora posso ouvir quando quiser!

-------------

Caso não utilizem o Reader, podem sempre ouvir as emissões aqui:

Sopa de cebola...arroz...isso!

Eu - Mãe, como é que se faz sopa de cebola? Aquela do arroz...
Mãe - Muita cebola, pouca batata e ovo cozido picadinho no fim. Mas não leva arroz...

Bom...vamos a isto:
Muita cebola, pouca batata.

Pelo sim, pelo não, ponho arroz...

E não é que ficou boa? Mas tinha arroz a mais...

E a esta hora está a minha mãe a pensar: "Não acredito que ela fez um post sobre isto!"
Pois claro que fiz, então andei a tirar fotos à sopa para quê?

Porque é que ainda tento?

É certinho, posso estar um dia inteiro sossegada sem prestar atenção nenhuma ao rádio, mas no momento em que tento ouvir algo que me interessa, acontece algo que não me deixa ouvir. Ou entra alguém no gabinete, ou o telefone toca, ou um dos meus colegas começa a falar sem parar...nem sei porque ainda tenho esperanças!
No gabinete, para minha grande seca, o rádio está sempre sintonizado na Comercial. No início, com a vantagem de chegar mais cedo, ainda tentava mudar para a Antena 3, mas rapidamente alguém chegava às 9h e mudava de novo para a Comercial. Mesmo às 08h20, quando me preparava para ouvir o Nuno Markl, era certinho que me entrava alguém a falar alto pelo gabinete dentro, ou me tocava o telefone ou me chamavam para outro sítio qualquer.
Acabei por desistir e ouvir depois em PodCast, ou não...
Alegria das alegrias, o Nuno Markl mudou-se para a Comercial! Finalmente, pensei eu! E às 08h45 lá estava eu sentadinha no meu gabinete, à espera da nova rubrica, contente com a vida, a montanha viria até Maomé. E o que é que acontece? No silêncio sepulcral que reinava, eis que exactamente no início do genérico a minha colega começa a falar e não se calou mais....até (exacto!) ao fim da rubrica, altura em que se calou e voltou o silêncio! E até aposto quando é que vai ser interrompido: às 09h45, que é quando repetem o programa...

-------------------

Só não acerto no euromilhões....são 09h47, está a dar a rubrica e eu ao telefone...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O conforto é...

"...lá fora estar a chover como tudo, a minha dona estar aqui a ver um filme sobre tornados e outros desastres naturais, e eu estar-me nas tintas para isso tudo!"

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Twix Dark

Neste preciso momento estou a provar isto:
Eu que sou fã incondicional de chocolate preto, não acho grande piada a isto...diria até que gosto mais do original! Ou então a expectativa de sentir o sabor amargo é tanta, que depois sabe a pouco!

Muito tempo livre

O que é que acontece quando se esquece um saco de comida para cão em território de felinos com muito tempo livre?
Exacto!
Reparem na precisão cirúrgica deste trabalho...com tampinha e tudo, para guardar para mais logo...


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Queria partilhar algo convosco



E é isto! Obrigado e bom dia!

Uma noite no Cabaret


Há dias de sorte...estar na fila para comprar lugares em pé e encontrar um amigo que vai levantar 4 lugares sentados para ele, a namorada e um casal amigo que já não vem...que grande chatice, lá vou ter de ver isto sentada! Ontem era dia de jogar no euromilhões, mas só reparei tarde demais!
O Eduardo Madeira não pôde estar ontem mas houve que chegasse para chorar a rir. A entrada com o Aldo Lima é excelente (desde imitações de baleias a vendedores imobiliários na Faixa de Gaza houve de tudo). Depois seguiu-se o Óscar Branco (nervoso demais a meu ver), o Nilton, o Francisco Menezes (com uma imitação impagável da Floribela e o seu Djaló) e para terminar, o meu preferido, o Bruno Nogueira, que imaginou a cena de Jesus na FNAC a tentar comprar uma prenda para Deus ("Então e uma colectânea dos Beatles?", "Hum...ele já tem quase tudo, só lhe falta o Paul McCartney.").
Podia reproduzir aqui mais piadas, mas sinceramente, por este preço, vão ver! São 5€ em pé sem marcação, ou 10€ nas mesas com marcação, que está com cerca de 3 semanas de lotação.
Vou esperar algum tempo, dar-lhes tempo de mudar as piadas, e é certinho que vou lá outra vez.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Nova Carreira

Acabei de descobrir a minha verdadeira vocação: Fantasma!

O horário é porreiro, bastante flexível, fora ter de trabalhar à noite de vez em quando, e o plano de saúde não podia ser melhor. Quanto a salário, ainda tenho de investigar, mas sou até capaz de abrir uma empresa em nome individual...

Hoje vou tentar ver isto

Os lugares sentados estão esgotados até dia 8 de Dezembro e os lugares em pé são adquiridos no próprio dia na bilheteira...a ver vamos quantas velhinhas tenho de acotovelar para conseguir um bilhete!

Protocolo anti-esturro

Porque é que um TME tem o sinónimo de "faz-tudo"? Porque neste momento tenho várias páginas do Google abertas, em busca de protocolos de comunicação e torradeiras anti-esturro, tudo ao mesmo tempo!
Já agora, acho que estas últimas são um mito, não se encontram em lado nenhum.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A meter água

Por cada tromba de água que cai hoje, faço uma contagem decrescente até ao primeiro telefonema a dizer que está a entrar água num gabinete ou armazém qualquer.
Não é que eu seja incompetente e não trate bem do edifício, está tudo devidamente preparado para acolher chuvadas fortes. O problema é quando as chuvadas ultrapassam o limite do sensato e têm demasiado caudal para o nosso sistema de esgotos....a água começa a voltar para trás...e isto inclui a água que se condensa no circuito de Ar Condicionado...o que provoca pequenas goteiras um pouco por todos os tectos.
Portanto, eu vou meter aqui uns dias de férias e quando se acabar a época das monções, liguem-me!

domingo, 15 de novembro de 2009

São só ondas

Quando vamos à praia e o sol está quente, demasiado quente, o que fazemos? Vamos embora? Não! Recolhemos debaixo de uma sombra, mas ficamos, a apreciar a vista e à espera de tempo mais ameno.

Quando vamos à água e o primeiro toque é gélido, que até nos faz doer os pés, o que fazemos? Voltamos para trás? Bem...talvez seja o primeiro pensamento, mas não, ficamos lá, habituamo-nos à dor e passado algum tempo até sabe bem.

Quando vem uma onda grande, o que fazemos? Encolhemo-nos amedrontados, de olhos cerrados à espera do impacto? Não, ficamos de pé, peito aberto, e na passagem da onda levantamos os braços e saltamos alto para lhe passar por cima. E no fim, que grande sensação!

Na hora de ir embora, ao voltar para cima, a areia está tão quente que nos queima os pés, e que fazemos? Paramos de andar? Não, andamos mais depressa, para passar a zona quente e chegar a um lugar mais confortável.

A vida é uma praia, há que aproveitar muito bem tudo o que ela nos dá, mesmo que às vezes nos pareça desconfortável ou assustador, porque quem sabe se amanhã ainda vai lá estar.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

2012

Os filmes sobre o fim do mundo são dos melhores para ir ver ao cinema. Há muito que defendo que o cinema, devido ao preço estupidamente alto a que estão os bilhetes, já só vale a pena ser utilizado para ver os filmes com grande efeitos especiais.
Sim, que eu não quero ver tsunamis no plasma, que isso ía-me parecer uma ondazita de 2m, daquelas do Guincho! Não, desastres naturais catastróficos e invasões extra-terrestres massivas são para ver no grande ecrã, com som Dolby Surround e o irritante intervalo a meio de uma cena de um avião a cair a pique!

Todos estes filmes têm características comuns, essenciais a um bom romance familiar de acção e ficção. A que mais gosto de todas é o facto de a acção principal se passar sempre na América, o que me deixa naturalmente mais descansada. Se o mundo quando acaba, começa do outro lado do Atlântico, sempre temos pelo menos 1 dia de sobre-aviso para desbundar à grande (como se não houvesse amanhã!).

De todos os sentimentos que podem surgir durante o visionamento deste tipo de filmes, há um que me assalta sempre e não, não é "O que faria eu se soubesse que o mundo ía acabar?", essa já respondi no último parágrafo. O que acabo sempre por pensar é "Será que as pessoas que eu quero a segurar-me a mão quando o tsunami nos engolir, sabem o quanto gosto delas?".

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A vida selvagem de um TME

De repente, dou por mim responsável por uma série de catástrofes naturais:
- Uma praga de mosquitos na cozinha;
- Ratinhos que fazem companhia ao segurança nocturno;
- Um ninho de vespas algures no cais de descarga;
- Peixes no lago da entrada, que é só para decoração.

Rói-te de inveja, David Attenborough!

Não me canso de ver isto!

Os "bloopers" do anúncio do Ecoponto:

Elas andem aí

Sabem o que tenho de fazer hoje? Descobrir onde está o ninho das vespas que andam a atacar os funcionários.
Ainda eu me queixo que este emprego é chato!

(imagem de istockphoto)

O que se leva desta vida

Apetece-me ir ver isto:

Ou isso ou tirar um curso de cozinheiro..não sei bem ainda! Mas o teatro é capaz de ser mais barato...

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Um cogumelo...trá-lá-lá

As coisas que se encontram quando se passeia o cão!
Felizmente o Nero estava tão distraído a cheirar ervinhas que nem notou nesta casota de Estrumpfe, senão muito certamente eu só teria fotografado um toco!

Ó senhores da TMN!

Para que é que eu quero 50 sms's grátis por mês no MyTMN se a porcaria do site nunca funciona?

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Lá diz a minha mãe...

..."Só não te esqueces da cabeça porque está agarrada ao corpo!".
E tem razão sim senhor!
Há dias melhores que outros, em que sempre vou conseguindo cumprir todas as tarefas sem atrasos nem percalços, mas estas semanas têm sido complicadas...acho que estou num dos meus picos de distracção.
Em 2 semanas já me aconteceu 3 vezes um episódio que só costuma acontecer pontualmente. Chego ao trabalho, estaciono toda contente por ter encontrado um bom lugar no parque, vou à mala do carro buscar a mochila com o PC e...que é da mochila? Agora que penso nisso, que é da carteira? E os telemóveis? Ora bolas! Mais uma piscina até Mafra...
Juntamente com o episódio do meu pai em Angola e da ferramenta esquecida...se calhar preciso de férias...

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Esta cabecinha não tem melhoras

Fiquei na dúvida de publicar isto...mas acho que os leitores merecem conhecer um pouco mais as entranhas desta que vos escreve e talvez até consigam assim entender o porquê de algumas das pataquadas que para aqui são publicadas.
Vou então dissecar uma situação que me aconteceu hoje e que exemplifica bem como funciona este meu cérebro (de amendoim!).

Ora, o meu pai trabalha por Angola, mas de momento está cá, prestes a partir, em data a agendar, que isto nem vale a pena fazer planos!
Tenho amigos que trabalham em Angola e um deles zarpou na passada segunda-feira. Fui despedir-me dele, boa viagem e tal, beijinhos à moamba, abraços ao kalulu, dá notícias!
Hoje tinha uma chamada não atendida do TMN do meu pai e reparem bem neste espectacular desencadear de raciocínios:
"Do TMN? Então mas ele não está em Angola? Foi-se embora na segunda!!! Despedi-me e tudo!"
E vai daí, ligo para o telefone de Angola, que está desligado. Fiquei preocupada e liguei para o TMN, ninguém atendia, mais preocupada ainda.
Segue-se uma avalanche de pessimismo, de onde destaco as seguintes passagens: "Nunca chegou a embarcar!", "Raptaram-no e agora querem o resgate!", "Rebentou um golpe de estado em Angola e veio refugiado!".
Eis que ele me liga novamente e ao atender desenrolo imediatamente o raspanete:
Eu - "Que raio estás aqui a fazer? Não devias estar em Angola?
Ele - "Estou no hospital..."
Eu - "O que é que aconteceu?" - muito aflita.
Ele - "....numa consulta..."
Eu - "...."
Ele - "Queria saber se me dás boleia para o aeroporto..."

E de repente "PLIM!", fez-se luz neste micro-cérebro embaralhado!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

A vida no campo é...

...deixar uma ferramenta na rua às 06h30, voltar às 21h30 e ela estar exactamente no mesmo sítio!

domingo, 1 de novembro de 2009

Festa da Espuma de Encher

O Nero decidiu tirar o curso de decorador de interiores! Isto aqui era uma cama de cão...agora é um festival de espuma!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Sobre os bons momentos...

...ou como uma simples noite de chalaças e disparates entre amigos nos faz esquecer o imparável suceder de chatices e complicações da vida adulta.
Afinal é para estes momentos que trabalhamos e nos submetemos a situações difíceis no dia-a-dia, por isso quando nos aparece um, há que aproveitar...e ficar...



E como está na moda usar a frase do anúncio da Zon:
Se eu podia viver sem dizer dizer disparates? Podia.....mas não era a mesma coisa...

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Eu até apagava o fogo, mas...

Vamos lá a ver uma coisa....eu posso ser "multi-task" mas o meu telefone não é!
Ora, se está a decorrer uma emergência, a qual é suposto eu resolver por meio de telefonemas e decisões, não consigo fazer nenhumas destas tarefas enquanto não pararem de me ligar para me falar na dita emergência que eu já conheço, ok?
Há dias em que sinto que só consigo trabalhar fora do local de trabalho....

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Leituras

Invejo a capacidade de expressão de algumas pessoas. Neste momento preciso, invejo a deste homem:

"Bartolomeu levanta uma questão interessante - e quando o pássaro volta? Confesso que alucinei sobre ave sem retorno, mas compreendo a dúvida, há amores que regressam. Intocados? Por outros alguéns ou pelo que os levou a deixar-nos? Se por outros alguéns, como reagimos nós? Depende do que sentiram ou fizeram? Nós homens, temos reputação de reagir de forma diversa quando quem amamos conheceu alguém no sentido bíblico do termo:). E no entanto há paixões vestidas, até longínquas!, que modificam - às vezes para sempre... - o olhar de quem volta. Pobres de nós quando nos batemos contra essas rivais - castas na Carne, sem esperança ou desejo de cura para o delírio que lhes rói e salva o espírito.
Em outras ocasiões não houve ninguém entre nós e nós. Mas o que fez voar o pássaro, impotente embora para evitar o seu regresso, chega e sobra para o manter em guarda. Contra nós, que porventura o magoámos, mas também contra si mesmo, que baloiça entre o alívio deliciado e faminto por nos reencontrar e uma sensação amarga de cedência, por acreditar piamente que o não merecemos ou amamos bem. Quando existe tal ambivalência, a bonança que sucede à tempestade anuncia nova tormenta...
Compreendo a parcimónia de Bartolomeu em face de aves migratórias. E contudo, quantos se podem gabar de nunca ter consultado relógio de pulso ou calendário, na esperança de ver alguém pousar de novo na área bem pouco protegida do seu peito:)?" - Júlio Machado Vaz

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Já enjoa

Mas ALGUÉM ainda aguenta aquele anúncio do Pingo Doce em tom faduncho que passa de meia em meia hora nas rádios?

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Deviam ser todos assim!

Foi um fim de semana de 3 dias, sem tempo sequer para respirar, só a fazer coisas giras!

Sexta: Voluntariado no Centro Jovem Tabor, em Setúbal. De enxada e ancinho na mão o dia todo, a ajudar na construção de um circuito de manutenção.

Sábado: Casamento do melhor amigo. Cantar, dançar e dizer disparates como se não houvesse amanhã.

Domingo: Prova Elite em Sta. Iría, fiz a minha melhor pontuação deste ano.

Venha o próximo...

domingo, 18 de outubro de 2009

Gizmo

Tenho um Gremlin em casa e não sabia!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

District 9

Ora aí está uma bela surpresa. Mais uma banhada sobre extraterrestres que invadem a Terra em busca de escravos ou formar uma colónia? Não, nada disso!
Ide ver e depois tirem as vossas conclusões, porque qualquer coisa que eu possa dizer aqui vai estragar a boa surpresa.
O início é assustador, de repente pensei que me tinha enganado na sala e estava a assistir a mais um documentário sobre o aquecimento global do Al Gore, mas rapidamente a história se revela e mostra um enredo bem mais denso que os tradicionais e mais que batidos ataques de aliens.


1 cêntimo é 1 cêntimo

Não sou agarradinha ao dinheiro. Tenho os meus dias avarentos como qualquer comum mortal, mas de um modo geral sou despreocupada com os preços e despesas e raramente confiro um troco.
No entanto, há uma atitude que me irrita nos empregados das lojas. Quando um determinado objecto custa por exemplo 1,99€ e pagamos com 2€, fico à espera do cêntimo de troco, porque gosto de ser eu a decidir o que fazer com ele. Não gosto que decidam por mim.
Regra geral, o empregado não dá troco e não diz nada. Ora, até se pode dar o caso de não haver moedas de cêntimo na caixa, mas nesse caso não ficava mal a frase "Olhe, não tenho troco!" e isso eu aceitava. Mas assumir à partida que o cliente não quer o cêntimo de troco chateia-me! Só isso!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Menina de Coro

O meu melhor amigo vai-se casar. Estou imensamente feliz por ele, por vê-lo tão bem, por saber que está a fazer o que é certo.
Nunca "casei" um amigo tão próximo e a sensação da aproximação da data é completamente diferente de todos os outros casórios a que fui. Estou de facto entusiasmada com isto!
Estou também muito honrada por me ter dado tão nobre tarefa de pertencer ao coro que cantará alguns cânticos na igreja. Sim, eu, num coro, já não é novidade. Eu e o noivo fizémos parte, por breves meses, de um coro, há alguns anos atrás, o "Coralis Bestialis". Agora que penso nisso, já foi há mais de 10 anos....xiça, que estamos velhos!
Bom, e agora que anunciei a minha participação no coro, é de esperar que a afluência ao casamento diminua significativamente, desculpem lá noivos....o pessoal vai só ao copo de água, que aí em princípio ficarei caladinha, a não ser que beba demais!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Só a mim...

Ao detectar um problema eléctrico no carro, ligo para o mecânico:
Eu - Bom dia, eu sou a dona do Megane que esteve aí na semana passada...
Ele - Ah, ainda bem que ligou, encontrámos aqui uma peça do seu carro!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O noivo é bruto!

Eis que fui a uma despedida de solteiro radical, com paintball, almoçarada e "cumbíbio".
Há muito tempo que não despejava a minha ira em forma de bolinhas de tinta. Como de costume foi libertador, relaxante e deixou marcas:
Qualquer semelhança com uma raia, moreia ou leopardo é pura coincidência, isto aqui é mesmo a minha perna! O autor desta brincadeira (o noivo) tem a mania que percebe de geometria, conseguiu fazer um triângulo perfeito.

Tarefa Ingrata

É muito giro ter um blog. Pode-se escrever tudo o que se quer, quando se quer, simplesmente "deitar cá para fora" o que nos corrói por dentro, sem preocupações, mesmo que o sintamos apenas por um breve momento. E ali fica, a nossa história escrita para sempre, à mercê de quem está interessado, à mercê das mais diversas interpretações.
Quanto mais bloguistas conheço, mais me apercebo dos problemas que temos em comum. E todos eles vão dar ao mesmo: interpretação.
Quando iniciei este blog era uma inocente, praticamente não pensava no que cá punha, era mais ou menos o que me desse na telha. Com o passar do tempo apercebi-me do impacto que tem o que vou escrevendo e das diversas formas possíveis de o ler. Ajuda-me a ver quem de facto presta atenção ao que escrevo, quem lê na diagonal e ignora os pormenores, quem me conhece melhor e percebe o que de facto estou a dizer por outras palavras e ao mesmo tempo limita-me cada vez, pois apercebo-me dos efeitos que pode ter um simples desabafo.
Estou cada vez mais consciente das intenções de quem lê este blog, seja por genuíno interesse, mera curiosidade ou simples excesso de tempo. E isso faz-me pensar cada vez mais no que escrevo, como escrevo, quem é que quero de facto tocar com as minhas palavras, condiciona-me totalmente e afasta-me do meu primeiro objectivo que era tão somente desabafar sem tabus.
Tudo isto torna um blog pessoal num desafio, uma espécie de jogo onde se tenta dizer tudo sem ferir nada nem ninguém. A melhor forma de compreender isto é ter um, experimentem e depois digam lá se não é interessante!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Banalidades

Enervam-me os bens materiais. Enerva-me a importância que lhes é dada, até a importância que às vezes eu própria lhes dou.
Nem todos os dias nos sentimos em nós próprios, há dias em que somos mais egoístas, outros em que somos uns "bananas" e ainda outros em que só pensamos em dinheiro. Tudo isto condicionado pelos acontecimentos do dia-a-dia que vão puxando de nós diversas formas de agir.
Os momentos em que somos de facto genuínos connosco próprios é quando somos apanhados de surpresa, quando nos surge uma situação que não prevíamos na rotina.
Sempre defendi a teoria de que a primeira reacção a qualquer coisa é geralmente a mais certa.
Aqui há tempos, relatei aqui como respondi prontamente na noite de fim de ano em relação ao eventual roubo da minha televisão. Que se lixem os móveis, os carros, os empréstimos, as despesas e até as tarefas domésticas, desde que haja dentro de nós um quentinho de conforto, tudo isso são banalidades.
E esta pessoa, esta sim, sou eu!

Manifesto contra a Racionalidade

Aconselho e subscrevo:

Para quem quiser passar directamente ao manifesto, sem ler o preâmbulo, é só andar para baixo e começar a ler onde diz UM MANIFESTO EM SETE PONTOS.

Os Méganes dão-me azar

Ai ai, que a vida não me corre nada bem!
O meu primeiro Mégane deu-me todos os problemas e mais alguns, e eu fiz o quê? Comprei outro! Pois, faz sentido, não é?
Vai hoje pela primeira vez para a oficina e eu já estou a desesperar com as más notícias que aí vêm.

---------------------------------

Era um injector entupido....cá para mim o antigo dono andava a abastecer com papa Cérelac em vez de gasóleo....mas daquela com grumos mesmo!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Incondicional

Há uma idade certa para compreender as mães. Não digo uma idade certa em algarismos, mas certa em termos de quando as conseguimos observar melhor.
Quando somos novos só conseguimos ver as proibições, os castigos, os dramas que nos criam por chegarmos tarde ou não comermos a sopa (ou as ervilhas...).
Vem depois outra idade em que achamos que já sabemos tudo e que as mães viveram noutra época e são incapazes de compreender os problemas da juventude moderna.
E vimos por esses anos fora sempre olhando de lado para uma pessoa que nos parece demasiado perfeita para ser verdade, que nunca comete erros e nos quer impedir de cometer os nossos.
Parece-me a mim que só lhes damos verdadeiro valor quando lhes descobrimos a primeira falha, a primeira mentira, o primeiro erro. Não tem necessariamente de ser um erro ou mentira, mas por exemplo o simples facto de lhes apanharmos uma contradição nas palavras. Nesse preciso momento paramos surpreendidos com a mudança de atitude e perda de perfeição e conseguimos perceber que elas nem sempre nos dizem o que lhes vai lá dentro, mas sim o que acham que nos faz felizes.
E se o que nos faz felizes é comer sopa numa semana e rebuçados na outra a seguir, elas lá estarão em ambas as semanas, dizendo que a sopa é muito boa, mas que os rebuçados é que é fixe!
Obrigado mãe!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Patrocinado por uma cerveja qualquer

Para todos vós, distraídos, que ainda não repararam nisso, é só para avisar que vem aí um FIM DE SEMANA PROLONGADO!
Mesmo a jeito para fazer um "reset" à cabecinha!

Dedicada a estes fantásticos 3 dias sem manutenção de edifícios com que me preocupar, a não ser a do meu próprio imóvel, aqui fica uma música que me dá arrepios na espinha.
É de um anúncio da Super Bock que dá no cinema, antes dos filmes, e cada vez que a ouço enche-me os sentidos. É para por bem alto, ó "faxavor", a ver se também enche os vossos:



quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Abaixo a tijoleira molhada

Fez há pouco tempo um ano que rachei um cotovelo a subir a escada da minha casa e fiquei um mês de castigo com o dito cotovelo em repouso absoluto.
Como o tiro não me tem corrido pelo melhor, achei por bem arranjar outra lesão para ter uma desculpa ("ah e tal dói-me aqui e não posso atirar") e então ontem à noite tentei criar um acidente no quintal.
Eu tinha tudo, o chão molhado, a chinelinha lisa, a porta onde bater com o braço, mas mais uma vez se confirma, ando com falta de pontaria, só me consegui aleijar no dedo mindinho da mão direita, dedo esse que não uso em absolutamente nada! E como podem ver pela unha, nem para sacar cera dos ouvidos serve!

Tenho parte da unha roxa (na foto não se vê bem) e dói-me como se não houvesse amanhã. Estou a teclar à tia, com o dedinho esticado, sou tão fina!

domingo, 27 de setembro de 2009

Reumático

Eu bem sei que um bicho não dura para sempre, bem sei que tenho de me habituar à ideia de que o Lucas está velhote e até sei que muita sorte tenho eu de já o ter há tanto tempo. Mas há certas realidades que não me apetece aceitar.
O bico-de-papagaio persegue-o, deixando-o coxo com intervalos semanais. A solução é tomar anti-inflamatórios e esperar que passe, ou então submeter-se a uma operação de 700€.
Sim, optei pela primeira opção, por várias razões, mas tive de aceitar o facto de que entrámos já na fase de tomar comprimidos regularmente.
Cada vez que o vejo a coxear de novo fico com o coração apertadinho, do tamanho de uma noz.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Música de elevador

Tenho como missão compilar um mega-dvd de música, para tocar ininterruptamente como som ambiente no espaço de refeitório da empresa.
O cd de teste foi do António Carlos Jobim. Logo houve queixas de que a música era chata, dava sono ou mesmo que era demasiado erudita. Outros acharam apropriada, mas que seria melhor só instrumental. Outros ainda acharam genial e perguntaram se não seria possível pôr também Daniela Mercury...
Posto isto, apetece-me fazer um dvd com um pouco de tudo, para agradar a todos!
Jazz, Soul, Blues, Samba, Kizomba, e até Vivaldi e as suas 4 estações (ainda ninguém se cansou de ouvir isso nos atendedores de chamadas, pois não?). Já que vou nesta onda, não me posso esquecer do Kenny G., tão famoso em elevadores e gabinetes de osteopatas.
E porque não um pouco de AC-DC, Led Zeppelin ou mesmo Marylin Manson ou Rammstein?

Seja como for, a primeira faixa já escolhi: (só a encontrei no Youtube e este clip é muito parvo)

This is it!

Mais um bocadinho e faziam o filme mais depressa que o funeral do homem!


Estreia a 28 de Outubro. Até lá...let's look at a trailer!