quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Balanço Natal 2013

Preparei uma imagem toda gira para publicar aqui a desejar Boas Festas aos leitores e depois perdi-a no limbo da galeria de fotos do telemóvel.

Pela primeira vez lembrei-me de pedir talões de troca para todas as prendas que comprei. E não foi preciso nenhum! :)

"Tirei as medidas" a um estranho para comprar um blusão ao Homem-Que-Não-Assina. Calma...isto não é o que estás a pensar...eu posso explicar.

Recebi uma prenda vintage e já esquecida, que tinha pedido à minha mãe num Natal passado (já nem sei qual). Por prenda vintage entenda-se um açucareiro à antiga, sim, daqueles com o tubinho e o doseador.

O HQNA decidiu deixar de me ouvir praguejar cada vez que falta a electricidade lá em casa ("E ai os meus peixes, e ai a resistência dos peixes, e se me morre um peixe por causa disto faço uma espera ao sr. do piquete, e etc.") e ofereceu-me uma UPS para o aquário! :) Smart man!

Roupa para adultos e crianças, 2 tachos e uma máquina de waffles. Para o ano é uma máquina de donuts, se faz favor.

Triciclos, camiões, legos e outras coisas que ocupam espaço na sala. Mais um Natal e vamos ter de vender o sofá para conseguir entrar...

E a comida e a família e o costume, tudo normal. Nada mais a acrescentar.

Ah! E Boas Festas! :)

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Eu também faço memes


quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Quadras Natalícias


domingo, 15 de dezembro de 2013

Porqu'à menina lh'apeteceu panquecas!

E eu mereço porque hoje, quase, mas mesmo quase, me encontrei!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Eat My Dust, Pocahontas!


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Gosto de pessoas que...

...enquanto falam, inserem factos irrelevantes no discurso.

"E estava eu sozinha em casa, naquela noite em que a Fanny fez anos, quando começo a ouvir um barulho estranho, logo agora que afinei o aparelho, e fui encontrar o teu telemóvel a tocar debaixo de um monte de casacos no teu quarto, tens de arrumar aquilo, e depois não sabia se devia atender, porque podia ser engano, e também não o sabia desligar e afinal era o teu pai! "

Sim, é uma conversa completamente inútil, cheia de factos que não interessam, mas é um discurso colorido. E eu gosto disso! Muito mais giro do que "O teu pai ligou! "

Yap, adivinharam!

É mais um projecto para a creche! 

Alguém adivinha o que isto vai ser?

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

No man's land

Pesa-me frequentemente a consciência por gastar 30 segundos numa tarefa que não é minha em vez de 30 minutos a delegar em quem de dever.
Bem sei que crio precedentes, mas digam-me vocês, caros leitores, tomando por exemplo um caso doméstico,  o que é mais útil e eficaz?   Baixar a tampa da sanita por mim própria ou encetar uma discussão sobre quem a deixou levantada?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Será este um caso para a Teoria do Caos?

Quando eu tinha para aí os meus 10 ou 12 anos, imaginava a minha vida de adulta como um cruzamento entre o "MacGyver" e "O Sexo e a Cidade".

Ía viver num apartamento no centro de Lisboa, decorado com móveis do Kit-Market e reclames em neón. Estão a ver aquela cena do "Demolition Man" em que o Stalone vai visitar o apartamento da Sandra Bullock e aquilo é uma espécie de museu dos anos 80? Muito isso!

Ía ser uma executiva de sucesso, extremamente ocupada e sempre a viajar, pelo que nunca iría casar nem ter filhos, e também não teria animais de estimação. O que era um facto curioso dado que aos 6 anos queria ser veterinária...mas ok, quem não quer com essa idade?

Apesar de ser uma executiva, não teria um emprego chato e monótono. Nada disso! Seria uma agente publicitária, investigadora de soluções tecnológicas ou programadora altamente especializada, mas em qualquer dos casos, paga a peso de ouro.

Para terminar, apesar de ter um jipe (porque era aventureira e tal), ía de táxi para o trabalho todos os dias.

Ora bem....15 anos depois, vivo numa moradia, no campo, com decoração rústica, casei, tenho 2 filhos e um mini-zoo em casa, trabalho no ramo da "ferrugem" e conduzo um carro rebaixado.

Como raio cheguei aqui não sei, mas ainda bem que o Kit-Market faliu...

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Estou bem onde não estou

Estava aqui a pensar naqueles escassos dias de férias, em que desesperei por não conseguir ler uma página inteira sem ser interrompida por um choro ou um brinquedo e desespero agora porque gostava de os repetir, nem que o preço disso fosse o dobro das interrupções.

E os obsessivos compulsivos?

Arrumam as cápsulas de café em degradé? Ou sou só eu?

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Os homens também têm frio

Caros senhores da Primark, C&A, Zippy e outras lojas de roupa infantil de conotação low-cost:
FAÇAM COLLANTS DE CORES NORMAIS!

Era isto, obrigado e bom dia.

(...)

Querem que explique? Ok, pronto.

Há toda uma panóplia de escolha de collants do cor de rosa ao cor de rosinha, passando pelo roxo e pelo lilás, com coraçõezinhos, mochinhos, gatinhos, etc. E collant's para futuros homens, não há?

Não penso que a roupa que se veste influencie de alguma forma as nossas escolhas sexuais no futuro, nada disso, mas já agora, se opto por vestir calças aos putos em vez de saias, também poderia optar por collants azuis em vez de cor de rosa, mas não! Porque não há!
A não ser que me digam que os putos não usam collants. Então usam o quê? Porque não vejo alternativas à venda, como umas mini-ceroulas, por exemplo...talvez a ideia seja fazer deles uns Homens, e nesse caso, toca de rapar frio que é para fazer crescer o pêlo na venta (e noutras partes).

Pois sabem que mais? Comprei uns que ainda assim disfarçam, com riscas verdes, azuis e brancas, com um lacinho ao nível do pé, que tenciono o arrancar quando chegar a casa.

Sim, estou um bocado em modo blog-de-mãe hoje, mas o blog é meu "and I cry if I want to"!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Xenofobia

Comentando eu como é curioso o facto de um peixe introduzido num aquário se juntar de imediato aos da sua espécie, logo me respondeu o Homem-Que-Não-Assina que de curioso isso não tem nada porque se me metessem numa sala com brancos, pretos, amarelos e vermelhos, com quem iria eu falar primeiro?

sábado, 19 de outubro de 2013

Quando eu for grande...

Estou na sala de espera de um consultório e vejo casais com filhos a lidar com as suas habituais inabilidades de ficarem quietos mais de 2 minutos.
Há casais que sorriem entre si, cúmplices, inspiram fundo e repetem pela 10a vez seguida a ordem de sossego.
Outros há que discutem entre si, as suas vozes elevam-se mais que as dos filhos, atropelam-se a dar ordens, que apesar de serem também de sossego, incitam (pelo menos a mim) ao desassossego.
Fico a pensar que tipo de pais somos nós, tento lembrar-me sa ultima vez que estivemos nesta situação.  Felizmente só me lembro de situações que nos colocam no grupo dos primeiros casais.
Nem era difícil chegar a esta conclusão, afinal de contas somos uma equipa, sempre fomos.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Auto armadilhas

Isto de ser distraído não é fácil. Tarefas que parecem banais e simples ao mais comum dos mortais tornam-se numa epopeia para uma pessoa distraída.
E os truques usados para combater a distracção tornam-se facilmente em armadilhas fatais.

Sair de casa de manhã com tudo o que é suposto é para mim do mais difícil que há. Em especial se os objectos não estiverem no local habitual (o mais seguro é nunca saírem do carro, o que explica a "arrumação" do mesmo).

É por isso que hoje deixei o portátil no tapete aqui ao lado da cama (sim, escrevo posts deitada) e sei perfeitamente que amanhã lhe vou pôr um pé em cima às 6h30, mas é garantido que vou lembrar-me de o levar. Pelo menos para fora do quarto vai, esperemos que não seja pela janela, depende do acordar...

sábado, 12 de outubro de 2013

A felicidade da ignorância

Tenho pensado muito sobre isto de não conseguir ser feliz quando se sabe demais. E se seria de facto mais fácil não querer saber.
O problema é que por mais que não se queira saber, há notícias e informações que nos vêm parar ao colo, sem fazermos esforço nenhum. E bastam 2 dedos de testa para tirar conclusões de um saco de trafulhas.

Aconteceu no outro dia, na minha ingenuidade fiz uma pergunta simples, e em vez de uma resposta recebi uma tempestade. Não foi preciso muito para perceber que a minha pergunta, apesar de inocente, tocou em algo podre.
E isto é uma coisa que me acontece constantemente, fazer perguntas simples, típicas de quem anda alheio às intrigas, e receber mais do que respostas. Talvez porque tenho muito mais em que pensar, e não perco tempo com o que não me interessa, talvez porque sou mesmo assim, distraída.

E talvez o ser distraída seja exactamente o que me protege, o que me permite ser feliz, apesar da ignorância ser pouca. Acho eu....porque na verdade nunca se sabe realmente qual a sua dimensão, pois não?

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

J. Babeco, o Domador de Leões

Isto começa-se com leões pequeninos e depois vai-se evoluindo...

"Ciro, senta!"
(Odeio apresentar fotos desfocadas ou rectificadas por terem pouca luz, mas há momentos que só se conseguem captar assim)

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Tenho cá p'ra mim que o Verão já acabou...

Esta manhã, ao tentar captar o ambiente de tempestade, nem reparei que The Red Bimmer, e a sua estrondosa potência nos faróis (olha se fosse xenon), me anulou o tom sombrio da foto.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Há jackpot no Euromilhões

Mudei o caminho que faço para o trabalho.
Mudei a posição do posto de trabalho.
Mudei o modo de aceder remotamente ao trabalho.

E com a chave certa até mudo de trabalho.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Os putos vão às caches


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

À falta de melhor

Eu era mais para varrer o chão, mas pronto, vá...


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Oh Brady! I've missed you so....

Amanhã vai doer tanto.....

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A Biblioteca

Arrumar a biblioteca levanta sempre uma série de questões, começando pelo próprio facto de poder ou não chamar biblioteca a uma colecção de livros, tão aleatórios em tema e estilo como em cores de capa.

Essa indecisão só por si inicia um outro processo, que é separar os livros que se querem manter e os que se podem dispensar, vender, dar, etc. E neste processo encontram-se aqueles "guilty pleasures", verdadeiras tangas literárias, vergonhosas de mostrar numa dita biblioteca, mas que gostámos tanto e nos custa perder. "Meto-o na prateleira de baixo, ninguém olha para essa, mas a estante está ao cimo da escada, quem sobe é capaz de ver, e além disso, caramba, também não se pode ter só clássicos, que se lixe, fica na secção das comédias, embora seja supostamente um drama."

Depois há o livro escrito por um amigo próximo, que tem lugar na prateleira dos clássicos, entre o Principezinho e o Grande Gatsby. Não é um ainda, mas um dia será e estar na prateleira certa é um começo.

Há os livros que achámos uma seca mas que são obrigatórios manter. Há ainda os que já lemos emprestados mas ficamos a pensar que temos de comprar um só para por na biblioteca, como Os Maias, porque parece mal ter uma biblioteca sem eles.

"O que raio faço aos Harry Potter?" Não os vou ler outra vez, mas um dia era engraçado ver se os putos gostam, mas nem sequer os tenho todos em português, os últimos são em inglês e em versão audiobook.

Encontram-se  mais livros por ler do que pensávamos. A pilha é suficiente para não precisar de ir à Feira do Livro durante os próximos 2 anos, mas tenho a certeza que na próxima vêm mais 2 ou 3.

Findo isto, e retirados 3 ou 4 livros que são de facto para eclipsar, vender ou queimar, e não querendo incluir a BD, que tem a sua própria estante no andar de baixo, olho para a minha biblioteca e penso onde raio tinha a cabeça quando imaginei que ía cobrir aquela parede de cima a baixo com estantes de livros, "pareciam tantos na outra estante...". Tenho meia dúzia de obras que sim senhor, e o resto mostra bem a minha curiosidade em experimentar coisas novas, descobrir autores, comprar aquele porque tinha uma capa gira, ou o outro porque gostei do resumo na contracapa. E se duvidam dos meus métodos digo-vos já que descobrir autores já me causou mais dissabores que as capas giras. O Rui Zink, autor que ouvi dizer que era bom e por isso comprei, está nos 3 ou 4 que vão embora.

Ainda me falta muito para cobrir a parede, e mais ainda para lhe chamar biblioteca, mas nesta colecção desgarrada de estilos e cores, encontrei boas surpresas e páginas que vou querer rever um dia.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Passagem de poder (ou de colher)

Spoon Power
Diz a literatura (e o pediatra), que a partir dos 12 meses se deve deixar a criança explorar os alimentos e os utensílios de alimentação, como parte da sua educação alimentar e incentivo a que se alimente sozinha.

Em "explorar", leia-se chafurdar. Razão pela qual respondi mentalmente "tá bem abelha" ao pediatra.

Após algumas semanas, a minha consciência convenceu-me então a deixar "a criança explorar os utensílios de alimentação" e os restos dos alimentos, como recompensa quando come a sopa toda.

O resultado é o esperado e pode sempre extrapolar-se para a situação de prato cheio, mas por enquanto só como exercício mental.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Consequências Centrífugas

Quando o Homem-Que-Não-Assina me perguntou o que eu queria de prenda de anos, respondi que preciso de um suporte para o telemóvel, mas uma coisa como deve de ser, que resista às curvas que The Red Bimmer é capaz de fazer, sem atirar com o telemóvel para um canto inóspito da carroçaria. O HQNA respondeu-me que então era preciso fazer um furo no vidro para agarrar o suporte.

Vou ignorar o facto de esta resposta não fazer sentido nenhum, até porque The Red Bimmer é um carro sério e não tem culpa de ser uma grande máquina nem é responsável pela existência da força centrífuga.
Mas queria só relembrar o HQNA que antes de fazer este tipo de comentários deveria manter em mente que sou eu quem lhe compra as camisas.

E esta semana vi uma bem gira...

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Visão Periférica (ou... Espera lá, casou com quem?)

é a propriedade da visão de perceber o que está fora do foco principal de visão. 
Visão também conhecida como visão tangencial, é a capacidade do individuo de enxergar pontos a sua frente e ao redor do seu campo visual, ou seja, é aquela que se forma fora da mácula, na periferia da retina. Trata-se de uma visão pouco rica em detalhes, em que o individuo percebe a presença dos objetos e movimentos, mas nada nítido, quase desfocado. Isto acontece porque a luz incide nos olhos de forma retilínea à frente destes e tudo o que está ao redor aparece desfocado.

Voltei atrás, afinal não era um babuíno.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

BD Caseira XXIII

(clicar na imagem para ver em tamanho original)

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Não percam, amanhã, BD comemorativa

Já lá vai mais de um ano sem BD Caseira aqui pelo blog. Em parte pela tristeza da perda de um protagonista principal, e em parte por perda de tempo livre pela entrada em cena de dois novos protagonistas.

Faz amanhã um ano que os dois novos "actores" chegaram ao cenário e mesmo com a regra de "no face picture" há material que chegue para fazer BD's. Além disso, dada a velocidade alucinante a que eles crescem e mudam, poderei até publicar algumas fotos com "face picture" de há 6 meses atrás sem problemas de identificação.

Pois bem, caros leitores, é com grande agrado e orgulho que anuncio a estreia de F. Pipoca e J. Babeco na edição XXIII do BD Caseira, a sair amanhã, dia em que completam um aninho.

P.S. - No momento em que estou a escrever este post não tenho ainda uma única fotografia escolhida ou fala escrita, mas isto até amanhã de manhã há de se compor...

Bricolage Nojento

É de longe a coisa mais nojenta que já bricolei, mas tenho a dizer que vale a pena, é extremamente eficaz.

O modelito foi tirado da net, basta ir ao youtube e pesquisar "armadilha moscas".

O primeiro protótipo tinha fruta como isco e caçou uma impressionante quantidade de UMA mosca. Revelou no entanto ser bastante eficaz como armadilha para cães sendo trocidado e comido 2 dias depois. Isco, armadilha e tudo.

A segunda tentativa tinha peixe, caçou alguns belos exemplares, cerca de uma dezena e meia, e confirmou a teoria que vão ouvir em vários dos vídeos que se encontram, que o melhor local para caçar moscas é perto do chão.

Mas ao fim de 2 dias a armadilha deixou de caçar moscas. Não porque já não as houvesse, embora tenha reduzido bastante a população na zona da armadilha, mas talvez porque o isco perde o cheiro intenso, ou as moscas aprisionadas lá dentro (ou as que estão a morrer afogadas no isco) gritam desesperadamente por ajuda e assustam as outras.

Bom, seja qual for o caso, o objectivo principal de reduzir a número de moscas é atingido ao fim de poucas horas. Esta foto foi tirada após uma hora de montar a minha 3ª armadilha. O isco é bacalhau dentro de água. Não reutilizei a segunda, porque sinceramente acho nojenta a ideia de abrir aquilo e deitar fora as moscas mortas. Para mim é selar a entrada, deitar fora e fazer outra.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Falta de Esperança na Humanidade (pelo menos alguma dela)

Isto dos blog's é muita giro, e dá gozo escrever o que nos passa pela alma  e depois ver como as pessoas reagem e interagem. Também é giro ver como chegaram até ao nosso blog, que pesquisa fizeram, que voltas deu o Google aos nossos textos para corresponder às pesquisas.

Exactamente por causa dessas pesquisas, iniciei com um amigo um outro blog já há algum tempo, para dar resposta às questões sem sentido que milhares de pessoas colocam no Google e que, por algum motivo obscuro, vêm parar aos nossos blog's, como se o Google fosse uma espécie de vidente ou mestre de curas, mas sem o inconveniente de pagar caro, e ainda com a vantagem de responder a questões legalmente ou moralmente duvidosas.

Sinceramente já gostei mais de escrever nesse blog, porque ao longo deste tempo todo comecei a ver o tipo de pessoa que é atraída por ele e cada vez me apetece menos gastar o meu parco talento de escrita com seres que fazem encomendas nos comentários de post's sobre tatuagens invisíveis e sobre documentos falsos.

É por estas coisas que cada vez menos olho para as pesquisas que vêm parar ao Ervilhas e deixei o Perguntas Parvas um pouco ao abandono. Como é que se pode pensar num mundo melhor e mais evoluído com cabecinhas destas espalhadas por aí?

Para terminar deixo-vos o ponto alto do Perguntas Parvas, um post escrito em 2009, que continua a receber  frequentemente comentários de "elevada sabedoria".

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

The Red Birras

Certinho como o sol nascer todos os dias, é The Red Bimmer com o seu temperamento mimado.

Eu não disse que não lhe mudava a lâmpada porque senão ele arranjava uma pior? Passado algum tempo de ouvir o "Plim" da lâmpada fundida lá me decidi a mudá-la e dois dias depois (mais coisa menos coisa) eis que o menino decidiu avariar o alarme.

Optei então por jogar ao sério, fazer de conta que não era comigo, nem sequer olhar para trás quando trancava o carro e ouvia o "Plim" do alarme desligado.
Este jogo teimoso durou um mês, e eu bem sentia a reprovação, em cada paragem, cada estacionamento, cada despedida, mas ontem finalmente o orgulho foi quebrado e The Red Bimmer voltou a ligar o alarme, assim, porque sim!

Bimmer, amigo, estás a esquecer-te que agora sou perita em birras. Ainda por cima, uma perita bem treinada porque os outros "Plin's" berram bastante mais alto que tu.

terça-feira, 30 de julho de 2013

E mesmo assim às vezes ainda viro do avesso (just in case)

A incompatibilidade entre a distracção e a aracnofobia é um facto.


Quando uma pessoa se esquece das luvas no exterior durante períodos superiores a uma hora ou duas, é normal que quando as queira vestir novamente tenha de recorrer a um martelo ou objecto similar para garantir que as luvas não ficaram entretanto "habitadas".

Assim como se martela um bife antes de fritar, estão a ver?

terça-feira, 23 de julho de 2013

Hoje é que foi agarrar nas curvas

Conclui-se que a ideia de um saco de estrume de cavalo se romper numa curva é inversamente proporcional ao peso do pé no acelerador, independentemente da aderência conseguida por 250L de substrato.


P.S. - a prova da minha dedicação ao blog é o facto de vir no caminho a pensar neste post e quando dei por isso já tinha descarregado os sacos e voltei a carregá-los no carro para a foto. Sim, são 5 sacos. Sim, são 250L. Eu gosto mesmo muito do meu blog.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

He really likes me! :)

E eu passo-me a sério!


Finanças - Informações Út....Naaaaaaa, que se lixe!

Abri o blogger para adicionar mais 2 itens à história das Finanças, que relatam a inutilidade de toda a epopeia de recolher 2as vias das facturas, mas é tal a alegria que sinto por me ver finalmente livre da "inspecção" que nem me apetece escrever.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

F descobriu a vocação

"Quando for grande vou ser juíz!"

Isso ou provador de marisco profissional, uma das duas.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

A sorte e o azar existem mas o futuro ainda não

Insistimos nessa história de não termos sorte porque temos o resto. Porque quando temos sorte é porque sim mas quando temos azar queremos à força encontrar uma razão, um culpado, um propósito.

Sabes que não acredito no destino, acho que quem o faz somos nós. Fazer o futuro e continuar a dormir bem à noite, foi uma opção que fizémos. Não me arrependo.

Só acho que temos de deixar de perseguir culpados pelo azar, as coisas acontecem, já sabemos que o mundo não é sítio justo e não o podemos mudar sozinhos.

Aceitar as consequências de um azar não é fraqueza, é o primeiro passo para o superar.

All in my head

A história é simples, fui comprar patinhos de borracha. 

Ao dirigir-me para a caixa, senti uma súbita vergonha a assolar-me. Pensei em graçolas para dizer com ar tímido à funcionária da caixa: "He, hen, são para os meus filhos!" ou mesmo "Tenho uma decoração vintage e isto é um clássico!", pensei no olhar reprovador que ela me faria ao ver-me colocar o pacote em cima do balcão, pensei "Olha se fosse aquele que eu vi com casaco de cabedal, ou o outro com a estola de lantejoulas ou mesmo o outro com a bolinha vermelha na boca!" e depois pensei "Raios! Até umas bolas chegavam, é só para ter mais qualquer coisa a boiar na piscina!" e neste momento olhei para a rapariga da caixa e apercebi-me de ter dito esta última frase em voz alta à frente dela.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Finanças - Informações úteis

#1 - Se foi chamado para análise de divergências de IRS, e não quer ficar o dia inteiro na repartição de Finanças, é chegar 1 hora antes de abrir. Se quiser sequer ser atendido, é chegar antes das 10:00.

#2 - O vestuário aconselhado para o ponto 1 inclui sapatos fechados, calças, camisolas apertadas e se possível, um passa-montanhas. Estes acessórios vão mostrar a sua utilidade na hora de abertura da máquina das senhas, independentemente da ordem de chegada à repartição.

#3 - Se acha que vivemos no Séc. XXI e a versão digital da factura para si chega, em vez de passar o dia de senha na mão e uma resma de impressões de facturas à porta das Finanças, gaste antes o seu tempo a visitar todas as capelinhas para pedir 2as vias das facturas originais.

#4 - No pedido de uma 2ª via existe uma probabilidade de 50% de correr lindamente ou de ficarem a olhar para si como se tivesse acabado de pedir um elefante cor de rosa com bolinhas azuis e tromba em degradé.

#5 - Se no ponto 4 acontecer a segunda hipótese, volte ao início e tire outra senha (a probabilidade de ser atendido pela mesma pessoa é bastante baixa).

#6 - Repita os pontos 4 e 5 até atingir o sucesso ou até esgotar os funcionários. Nessa altura deverá chamar o gerente.

#7 - Insista sempre para que a factura leve um carimbo e uma rúbrica, independentemente do funcionário ou gerente demonstrar que percebe mais de Finanças do que o Gaspar.

#8 - Tenha atenção ao pedir alguma alteração na factura, por exemplo, a inclusão do número de contribuinte que não estava, pois em alguns software's de facturação isto altera a data da factura para a data actual e a maior parte dos funcionários desconhece este facto.

Posto isto, boa sorte!

NãoGostodeErvilhas, a prestar Serviço Público desde 2008.



segunda-feira, 15 de julho de 2013

Feliz Verão 2013



O NãoGostoDeErvilhas deseja a todos os seus leitores um excelente Verão 2013.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Os putos vão à praia

AH! Estavam à espera de ver uma foto do carrinho estacionado na areia, não era?
Pois tomem lá, que é para não haver bocas de "só o carrinho é que vai a sítios" e não sei mais quê!




quarta-feira, 10 de julho de 2013

Se o mundo acabar à dentada...

Compradas ao mesmo tempo, usadas com a mesma frequência.
A da esquerda é dele, a da direita é minha.

Serei arraçada de Diabo da Tasmânia?

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Os putos vão de férias

...e são estes os planos.

sábado, 6 de julho de 2013

Kit Fim de Semana

Desde já, obrigado por ser leitor do NãoGostoDeErvilhas.

Se for o primeiro leitor de hoje, parabéns, ganhou este fantástico kit de fim de semana (na foto à esquerda). Se for assinante do NãoGostoDeErvilhas num qualquer reader de feeds, ganha ainda um conjunto alface-tomate-pepino-pimento, para utilizar com o seu kit de fim de semana.

Se por acaso já não foi o primeiro leitor, pode ainda deliciar-se com a imaginação de como seria comer este belo peixinho assado na brasa, aqui na Residência-Que-Não-Assina.

Não Gosto de Ervilhas, a zelar pelos seus leitores.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Miss T-Shirt Cagada

Ui, a quantidade de pesquisas do Google que vão cair aqui...

Sorry mates, foi só para mostrar o resultado de andar a fazer obras com roupa branca.

E também para ver a quantidade de mentes perversas que andam a Googlar que há muito tempo que não me cai aqui um tarado ou dois para desiludir.

E já agora as minhas sinceras desculpas ao referido Centro de Estágio, não foi de todo minha intenção denegrir a vossa imagem, nem sequer a t-shirt, mas olha, calhou ser esta!

quinta-feira, 4 de julho de 2013

A melga da blogger

Isto de ser blogger não é fácil. Entranha-se de tal forma no nosso dia-a-dia, que estranha-se por quem não sabe o que isso é.
E daí, lá vêm as perguntas: "Estás a tirar fotos a isso para quê?", "Então mas estás a tirar fotos aos putos de costas, que graça é que isso tem?", e por aí fora...
São inúmeras as situações diárias que me apetece comentar, mas a maior parte fica em águas de bacalhau, por esquecimento, por falta de tempo, porque não consegui tirar uma foto e só o texto fica feio, sei lá, porque a notícia sou eu e não há maneira de a contar sem revelar factos que não quero, muitas razões.

Desta vez, queria mostrar as pinturas da minha casa, mas pedir aos ajudantes para me tirar uma foto lá em cima ía ter a resposta do costume, "para quê?", e tirar a mim própria é complicado em cima de uma escada que por sua vez está em cima de um telhado. Vai daí, ficou o meu paizinho a servir de manequim na ilustração das minhas férias de Verão.


quarta-feira, 26 de junho de 2013

Se calhar a esta hora estou rica...

...e podia levantar-me, ir buscar o boletim do euro-milhões e conferir a chave, mas não, vou continuar aqui sentada de volta de uns esquemas eléctricos.

Eu gosto mesmo de trabalhar, caramba! É por isso que vou ser sempre pobre!

E não me venham com a conversa do BMW, que para isso já estou aqui a preparar outro post...

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Um blazer e um carrapito

Separo muito bem o meu "eu" pessoal do meu "eu" profissional. Tenho (muito mais que) 2 mails, 2 telefones, 2 modos de falar e 2 looks.

À hora de almoço costumo usar o meu "eu" pessoal. Cabelo solto, t-shirt barata, óculos de sol e ténis. Tudo características que costumam  ser escondidas pelo "eu" profissional: o cabelo preso por um elástico, a t-shirt debaixo de uma camisa ou um casaco, os óculos ficam no carro e os ténis, como são de marca, passam. Ocasionalmente, mais no Verão, até troco por umas sabrinas versus a sandalinha do "eu" pessoal.

É portanto comum cruzar-me com colegas de trabalho à hora de almoço ou ao fim de semana que nem sequer olham para mim duas vezes, só os mais atentos. E é tambem comum ser completamente ignorada nas lojas, serviços, etc.

Portanto hoje achei estranho quando em 2 lojas diferentes me deram tamanha atenção quando andava de volta dos calções de homem, e houve até um menino que me esteve a explicar a "tendência" deste Verão e a incompatibilidade com as bermudas, enquanto eu lhe explicava a "tendência" dos calções curtos não favorecerem os "gordinhos". Fui também assediada o dobro das vezes pelos vendedores de cartões de crédito dos quiosques no corredor do centro comercial.

Só percebi o porquê quando entrei no elevador e olhei para o espelho. Tinha-me esquecido de tirar o disfarce do "eu" profissional. Tão simples como um carrapito e um blazer. O resto era eu, calças de ganga, t-shirt e os Nike Shox.



quarta-feira, 19 de junho de 2013

BMW - o carro de família ideal

Pergunta-me muita gente porque não troco de carro, por causa dos miúdos e tal, um monovolume é que era e rebeubeu, pardais ao ninho. Para já, comprava mais facilmente um side-car para a mota que um monovolume. Coisa feia, sem jeito nenhum e provo-vos aqui já que não faz nada que The Red Bimmer não faça.

Sim, de facto dá imenso jeito ter o mesmo espaço na horizontal mas uma altura danada dentro do carro, nunca se sabe quando se vai fazer uma rave lá dentro e é preciso saltar em cima dos bancos. Ou então para aqueles dias em que apetece conduzir de cartola.


Apresento-vos o BMW 320, versão Sport.

Por ser rebaixado é mais fácil de pôr e tirar o carrinho da mala. Tem espaço de sobra para a muda da fralda de 2 bebés ao mesmo tempo, com sistema de arejamento e solário incluído.
Nas portas traz ainda um prático suporte para a tampa do biberon ou chucha.

Passando à performance, se num monovolume será fácil ouvir a frase cantada em coro: "a mãe não consegue, a mãe não consegue" enquanto se tenta ultrapassar um camião na auto-estrada, garanto-vos que no BMW isso não acontece. Pelo contrário, é bem capaz de se ouvir um entusiástico "dá-lhe gás, dá-lhe gás!"

Mas penso que a melhor característica é o ser tão bonito e fazer pendant com o carrinho...coisa que nunca na vida um monovolume consegue.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

O conforto das calorias

Ouvi esta semana uma entrevista a celebridades acerca dos santos populares e de como gostavam da sardinha, se no prato, se no pão. Todas as mulheres responderam no prato, que no pão engorda.
À parte o pormenor de quem se interessa por dietas nem dever sequer cheirar uma sardinha, fica-me o ridículo da afirmação, porque eventos como os Santos devem entrar para a Categoria "Que se lixe a dieta", como é o caso do Natal, da Páscoa ou do Dia de Anos.

Nesta categoria eu insiro ainda mais um evento, o "Eu mereço". Depois de um dia duro, seja por trabalho, preocupações ou esforço físico, há qualquer coisa de reconfortante em ingerir uma quantidade proibitiva de coisas que não prestam.

Não sei se para equilibrar a balança do bom-senso e responsabilidade ou se apenas numa de "ingerir para esquecer", foi porque "Eu mereço" que hoje ao pequeno-almoço escolhi um monumental xadrez, digno de servir de tabuleiro, e o comi sem a mínima pedrinha na consciência.

Leva-me a pensar que na realidade as pessoas obesas são indivíduos com uma quantidade impressionante de preocupações e tarefas duras...

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Feliz Dia de Sto. António

Meu querido Sto. Antoninho
Peço-te com toda a emoção
Podias estender um bocadinho
Esta licença de aleitação

Entrar às oito, sair às três
É uma vida bem à maneira
Pego nos putos e aí nos vês
A caminho da praia ou mesmo à beira

Bem sei que acaba em Agosto
Mas podia ser até Dezembro e tal
O teu primo Pedro nem o sol tem posto
Deve ter um desarranjo intestinal





quarta-feira, 12 de junho de 2013

Porque hoje é dia de Santos...

...andei à procura de fotos de manjericos.


Fonte: www.dn.pt

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Faz hoje 2 anos...

...que eu calcei sandalinha de salto alto e ele calçou sapatinho de ir à missa.



terça-feira, 4 de junho de 2013

O mau da fita

Pesa-me a reflexão sobre qual o papel mais difícil.

Isso de ser mau tem de ser inato, tem de vir do ser enquanto relaxado no seu estado natural enquanto que para ser bom tem de haver sempre um esforço associado, directamente proporcional à falta de índole do indivíduo. Por mais límpida que seja uma consciência, para ser o bom da fita é sempre necessário esforço, quer seja por meio da boa vontade, da paciência ou da compaixão.

Os bons, embora com muita fé, perdem por vezes a esperança ao não ver os resultados imediatos das suas acções. Esta falta de confiança é o seu ponto fraco.
Mau que é mau, sente-se apoiado na sua causa, indepentemente do resultado, muitas vezes até por entidades divinas. Ora vejam:



É por isto que eu continuo a dizer que o papel mais difícil é o de bom da fita. Mas por outro lado, isso de ser mau também não me é fácil, caramba!

sábado, 1 de junho de 2013

Feliz Dia da Criança

Como trabalho de casa para o Dia da Criança, pediram-me que caracterizasse os meus putos, para exposição na creche.

Mostro-vos aqui o resultado na versão sem fotografia.


À esquerda, J - o Flor de Estufa, com os seus fiéis companheiros, o termómetro e o Benuron, empunhando  o sinal de "Obrigatório Dar Colinho, or else...."

À direita, F - o Irrequieto, na sua forma normal (todo torcido) e munido de uma colher, porque nunca se sabe quando pode surgir uma sopa para atacar, e de um sinal de "Cuidado - Zona de Cócegas".

Tive de comer dois gelados para fazer estes sinais....os sacrifícios que uma mãe faz....

Se me tivessem pedido para os descrever como acho que serão no futuro, seria J - o médico (intelectual que já experimentou as doenças todas) e F - o futebolista (desmiolado mas com pica de sobra).

terça-feira, 28 de maio de 2013

Este Pipoco...

...de vez em quando diz umas coisas certas.

domingo, 26 de maio de 2013

Live another day

O vento na prova fez-me desistir à partida.
Perdi uma flecha e parti outra.
O Benfica perdeu a última chance.
Acabou-se o desodorizante.

Mas o J ainda não teve febre nem vomitou....hoje é um bom dia.

Vaso Ecológico - Versão Final (acho eu!)

Como sabem, não fiquei contente com a solução do vaso "ecológico" que fiz com o garrafão. E não descansei enquanto não encontrei um modelo ao meu gosto.

Acabei por desistir de procurar modelitos na net e decidi puxar pela cabeça. Depois de brincar um pouco com um dos modelos de teste (o que vos mostrei antes já era a 3ª tentativa), cheguei ao modelo que eu acho que confere mais classe (ou a classe possível, porque afinal estamos a falar de reciclar lixo) à solução final.

Este modelito é da minha autoria, não necessita de acessórios para suspensão, é de fácil remoção para manutenção e reparem que até tem opção de retenção de águas ou não (é só tirar a tampa) para se adaptar às estações do ano. Leva apenas um pequeno quadrado de manta geotêxtil no fundo para deixar passar a água e não a terra.

Eh pá, acho que vou registar a patente!

sábado, 25 de maio de 2013

Mais trabalhos de casa


Acabei de entregar estes sacos, com grandes elogios das educadoras e garantias de inveja e/ou encomendas das outras mães, e a seguir toma lá mais duas cartolinas para enfeitar até ao Dia da Criança.

Lá vou ter de puxar pela imaginação para mais um trabalho de casa! É que ainda por cima é sempre trabalho a dobrar...

As letras dos nomes (os leitores só vêem as iniciais) são as que já mostrei aqui e aqui. Os desenhos são em feltro fino e a liana foi um cordão que achei numa nas minhas visitas turísticas a uma retrosaria.

terça-feira, 21 de maio de 2013

No way, Jose

The Red Bimmer diz que precisa de uma lâmpada. 'Tá bem abelha!

Cada vez que lhe faço uma pequena compra vem-me com uma grande despesa a seguir.
A última vez que lhe mudei uma lâmpada, tive uma despesa de 600€ logo a seguir.
Depois disso mudei de escovas e na semana a seguir apareceu um problema no motor, mais 500€ e tal.

Portanto, caro amigo, até à próxima inspecção, podes tirar o cavalinho da chuva, que é como quem diz "tirar a lâmpada do painel"
.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Pink is like red but not quite (Bom, bom era White!)

Hoje sinto-me leve, sinto-me livre, sinto vontade de festejar.
Eu soube logo de manhã  que hoje era o dia, deu na rádio algo que não ouvia há anos e soube logo aí que este seria um dia bom.

Acabei de liquidar um contrato de empréstimo que me iria perseguir até 2015. As más notícias são que fiquei nas lonas, as boas notícias são que há menos uma renda por mês.
Viva os sacrifícios que se fazem todos os dias, vivam as poupanças que vou voltar a fazer e viva a LeLé que já é minha!

Agora som no máximo, rabos fora das cadeiras e Play! Toca a festejar comigo!

(Perfeito era se os gajos tivessem feito uma música chamada "White!", mas enfim, foi esta que ouvi de manhã)

Pink by Aerosmith on Grooveshark

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Lampião Doméstico ataca novamente

Agora é para condizer com as toalhas. Isso dos jogos do Benfica são só coincidências...

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Eu até sou meiguinha

Pá, abri o pulso outra vez!

E pormenores técnicos à parte, porque ah e tal não se abre o pulso, faz-se é loxações e entorses, assim é mais fácil e rápido de explicar.

À pergunta habitual sobre como fiz isto, resolvi responder que bati no meu marido mas o gajo é rijo e aleijei-me.

A melhor resposta de todas: "És mesmo burra, batias-lhe com uma cadeira!"

sábado, 11 de maio de 2013

Já vos tinha dito que o HQNA é do Porto?

Já uma pessoa não pode fazer a lida da casa e trocar as toalhas sem ouvir bocas...

Foi para fazer "pendant" com os tapetes, 'tá bem?

terça-feira, 7 de maio de 2013

RunKeeper

Está na moda  ligar tudo o que é aplicação ao Facebook, para que os nossos amigos fiquem a saber automaticamente o que andamos a fazer sem termos de falar com eles.

Ontem comecei a utilizar a aplicação RunKeeper, que desde já recomendo, para seguimento dos treinos de corrida ou caminhada, com rotinas de treino e ligação GPS, e claro está, a opção de ligação automática ao Facebook, para que todos saibam que me esmifrei para fazer 2,5km em 25min. Vá, tinha subidas, 'tá bem?

Se no caso do GoodReads não me importei nada de autorizar a partilha automática no Facebook, porque além de partilhar ideias de novas leituras com os amigos, sempre dá um ar culto, porque leio muito e tal, no caso do RunKeeper decidi não o fazer. E nem é para esconder a minha miserável forma física (até porque já a revelei no parágrafo anterior), é mais porque em cada partilha sai também o mapa da corrida acabadinha de fazer e apesar de só ter pessoas conhecidas no meu Facebook não me parece prudente mostrar onde estou exactamente naquele momento.

Chamem-me anti-social, mas se quiserem saber onde estou, telefonem!

Quanto ao RunKeeper, para quem corre ou vai começar, é uma grande aquisição e é grátis! Só lhe adicionava mais uma funcionalidade: um aviso nos locais onde aparece um cão enorme a ladrar de repente!


A prenda do Dia da (minha) Mãe

Não é o livro, é o marcador, que fui "moi même" que bordei.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Razões para ter filhos

Nº 2 - É uma grande desculpa para comprar coisas parvas (e giras).

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Será photoshop?

Pela net fora, vejo soluções fantásticas com garrafas PET, para fazer vasos e jardins suspensos e decidi recriar a coisa para criar o meu jardim de especiarias, sem gastar um dinheirão em vasos e suportes de pendurar.

Depois de alguns testes, decidi-me por este modelito que aqui vos mostro, e sim senhor que me ficou de borla, mas quando olho para isto não vejo aquele aspecto glamoroso que encontro nos sites da especialidade. A mim parece-me que se encher o gradeamento com estas coisas, vou ficar com a entrada da cozinha algo abarracada...mas de facto, até aqui, em foto tem melhor aspecto que ao vivo, e não usei Photoshop.
Bom...talvez se me dedicar a enfeitar os "vasos", com umas pinturas de florzinhas, a coisa vá....logo vos digo.

Porque a descriminação não olha a meiguices

Sob o pânico do canil habitual não estar disponível, tive de pesquisar opções para uma estadia do nosso Nero.
Quando telefono para um sítio qualquer, é normal fazerem-me uma pergunta inicial sobre qual o porte do cão, o que acho normal, porque tem a ver com o tamanho das celas disponíveis. Mas quando a primeira pergunta é qual a raça do cão, fico logo de pé atrás no resto da conversa e acabo por ser muito mais exigente nas questões que coloco.

Acabei por descobrir um sítio pertíssimo de casa, muito barato, mas onde decidi não deixar o meu cão. Porquê? Ora deixa ver: por ser um pitbull, iría ficar fechado dentro da cela durante toda a estadia, a comida era dada através de um comedouro automático e não teria direito a passeio nem interacção, quer com cães, quer com pessoas. Independentemente do seu comportamento.

Sim, eu aceitei pagar mais 4€ por dia para que o meu cão possa esticar as pernas, ver pessoas e brincar todos os dias. E já agora, continuar a ser um pitbull sociável.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Porque é que eu (quase) nunca acabo os meus projectos

Porque aparece sempre um mais giro para fazer:

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Archer's Gold

A prova de que os supermercados estão certos em continuar com a estratégia de colocar guloseimas antes das caixas está aqui mesmo.

Entrei no Leroy Merlin para comprar apenas e só 1m de tecido que me falta para terminar uma obra. Fui direita à secção da decoração e daí directa à caixa. Mesmo antes da caixa, um expositor de vasos com especiarias, entre as quais me saltou logo à vista este tomilho-limão, em inglês "Archer's Gold".

Caramba, isto é coisa que um arqueiro tem de ter! Até estou a pensar fazer um raminho para pendurar na aljava....

terça-feira, 23 de abril de 2013

Leituras no Dia do Livro

Hoje diz que é Dia do Livro. Eu tenho em mãos neste momento um calhamaço daqueles que se lê muito bem, nem lhe chamaria calhamaço, não fosse o peso. São 464 páginas, vou perto da 80 e recomendo:

http://www.goodreads.com/book/show/9110878-as-servi-ais

Se não estão a ler nada, hoje é o dia ideal para começar.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A publicidade ao serviço da boa postura dos treinadores

Parece-me um pouco exagerada a liberdade crescente dada aos meios publicitários. Tudo bem que estamos em crise e se não fossem os apoios das marcas, não havia desporto nem televisão, mas quando vi ontem a reportagem com os comentários dos treinadores pós Benfica-Sporting, não queria acreditar.

Jesus, entusiasmado com a vitória, ainda se consegue manter recto e com a cabeça acima do estandarte gigante que supostamente serve para disfarçar os microfones. Já Jesualdo, encolhido e definhado com a derrota, luta por manter os olhinhos acima da barreira.



sexta-feira, 19 de abril de 2013

Is it a dog? Is it a horse?