quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Sem palavras

Há gente de uma simpatia tal que me deixa pasmada!


O que me apeteceu foi vandalizar este Punto de toda a forma e feitio, mas como pessoa educada e séria que sou, ou porque estava muita gente a ver, fui-me só embora a resmungar.

É nestes dias que tenho pena de não ter uma pick-up com uma bruta grelha à frente...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Concurso Tela Bags

Caros leitores, participei num concurso para ganhar uma mala Tela-Bags, com esta fantástica foto:


Está a votação no Facebook, o link é este, basta clicar e dizer que "Gostam". É necessário ter conta no Facebook e "Gostar" da Obvious, que apadrinha o passatempo.

Obrigado.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Ilusão Óptica

Caro leitor, tente descubrir onde acaba o tapete e começa o gato.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

BD Caseira XVI

E de repente, de uma simples foto, mal tirada, nasce uma BD.

No sítio do costume: Limitações Tecnológicas

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Mais uma para a lista

Esta é mais uma história daquelas que hesito em contar, tal é a vergonha por tão estúpido e típico comportamento desta minha cabeça. No entanto, só agora me dei conta da asneirada, um ano depois da mesma, e já me consigo rir da situação, até mesmo contar aqui, para que se riam comigo, ou neste caso, de mim...

Ora, andava eu a organizar papelada, agrupando facturas por empresa, EDP Setembro 2009, SMAS Abril 2009, Via Verde Maio 2009, PT Janeiro...espera lá, que matrícula era aquela na Via Verde?
Ao passar pela factura da Via Verde, chamou-me a atenção a matrícula da mota. Se eu não pego na mota desde 2007, como é que passei na portagem em 2009? A lista de débitos de Maio era enorme e ali fiquei agarrada à factura, a tentar perceber como era possível.

Lembrei-me então que no dia em que troquei o saudoso Cordobamobil pela Megane, ao fazer a limpeza final, encontrei a Via Verde da mota no porta-luvas do carro. Foi assim que, ainda incrédula e agarrada à factura, me pus a comparar as datas e horas das passagens nas portagens entre a mota e o Cordobamobil. I-GUAL-ZI-NHAS!

Pronto, é este o facto, após pesquisa nas facturas, desde Novembro 2007 (altura em que deixei de andar de mota e meti a Via Verde no carro para levar para casa e guardar) a Agosto 2009 (altura em que troquei de carro) andei a pagar o dobro de Via Verde. Muito bom, não é? Sim, podem rir, até me podem chamar nomes, eu mereço.

Agora desculpem-me que eu vou ali bater com a cabeça num poste e já venho.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Diz que começa hoje o Outono

E nesta altura começo a pensar que já falta pouco para mudar de ano outra vez.

Parece conversa de velho mas realmente há dias que parecem passar a correr e quando olhamos para trás todos os acontecimentos do ano parecem encavalitados uns nos outros para caber em tão pouco tempo.

O Outono vai trazer frio, chuva, folhas secas e o conforto da lareira, estou quase ansiosa por tardes chuvosas e noites de tempestade, não fossem as saudades imensas que vou ter de me estender ao sol, deitada na areia.

Não leves a mal Verão, mas vamos dar um tempo, ok?

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Gata Gourmet

Este post corre o sério de risco de se tornar em mais um Manual, com o título "Como enganar uma gata com a mania que é esquisita".

O facto é que há cerca de 1 ano e tal que a minha Niki ficou muito exigente na alimentação. Na altura a ração que utilizava era a Friskies, barata, vendida em todos os supermercados, com imensos sabores à escolha, e comia a sua dose diária toda de uma vez.

De repente a menina começou a vomitar após as refeições e dado o modo selvagem como atacava a gamela, pensei que fosse um típico caso de falta de digestão por engolir a comida e não a mastigar. Assim, passei a dividir a ração diária em 2 vezes e mais tarde, por insucesso desta medida, em 3 vezes.

A coisa pareceu funcionar durante uns tempos mas começou de novo a acontecer e assim levei a menina ao veterinário onde me disseram que estava tudo bem, mas aconselharam-me uma ração caríssima, especial para estômagos sensíveis. Assim fiz, durante um mês consumiu-se aquela ração, e de facto os vómitos deixaram de acontecer.

Comecei a notar um certo padrão, sempre que comia ração barata vomitava, sempre que comia ração cara (mas mesmo muito cara, não estou a falar daquelas semi-caras dos supermercados) tudo se passava bem.

Assim, comecei a comprar um saco de cada e a misturar, mas sendo o preço de 750gr de uma igual ao preço de 2 ou 3 kg da outra, é mesmo esta a proporção que utilizo e até agora tudo bem, já lá vão uns meses.

De vez em quando a proporção é ainda mais acentuada, quando tenho aqueles saquinhos minúsculos de oferta da marca cara e sacos gigantes a preços muito baixos da marca barata (como na foto), mas não faz mal porque cheguei a uma conclusão:

Desde que cheire a caro, pode saber a barato, que está tudo bem!
E assim se engana uma gata com a mania que é fina!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Cérebro a (muito) baixa rotação

Numa exaltada discussão acerca das vantagens e desvantagens da poligamia, eis que o defensor da dita me propõe um desafio, numa frase curta, esperando uma resposta pronta:

- Diz-me UM mamífero que seja monógamo! Só um!

Ao que eu respondo imediatamente, entusiasmada e sorridente de tão segura: "O PINGUIM!"

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O Milagre da Rua 8

Em conversa com colegas acerca de filmes e séries de quando éramos pequenos, fiquei chocada ao perceber que ninguém se lembrava do filme mítico, clássico, quase de culto (pelo menos para mim) "O Milagre da Rua 8", ou na versão original "*batteries not included".

E a esta hora estão 90% dos leitores a pensar "O QUÊ???" porque provavelmente também não se lembram. É com grande tristeza que constato que um dos filmes que me moveu o interesse pela ficção científica seja tão desconhecido, tão esquecido desta minha geração.

Caramba! Mais que não fosse, porque foi uma das primeiras produções do Spielberg, muito antes dessas banhadas com dinossauros e grandes efeitos especiais! "O Milagre da Rua 8" é uma fábula acerca da amizade e da esperança. De entre todos os filmes que já vi ao longo dos anos, este ficou-me na memória, ao lado de outros, que não sei porquê, me tocaram e que recordo com mais pormenor do que outros êxitos mais conhecidos.

Os inquilinos de um pequeno prédio, em vias de demolição para construção de um grande condomínio, recebem a ajuda de pequenos extraterrestres mecânicos, na luta contra o gang que os tenta expulsar. A sério? Ainda ninguém se lembra? O robôzinho que se disfarça de hambúrguer? Não? Mas onde é que vocês andaram em '87?

Para quem ainda não faz ideia do que estou a falar, podem procurar no Youtube pelo nome original e ver o trailer, dando o devido desconto por ser uma obra dos anos 80. Se ficarem entusiasmados podem comprar o DVD, que sendo um filme já velhinho está à venda pela módica quantia de 5,49€ no Play.com com portes grátis. Se não gostarem de comprar na net, podem sempre comprar a 10,90€ na FNAC.

Eu cá, vou apostar que o meu jovem Homem-Que-Não-Assina ainda não conhece esta obra prima (mas esse tem desculpa porque em 1987 ainda só via o Noddy) e vou preparar uma sessão de visionamento, com direito a pipocas e refrigerante, esperando que ele goste tanto quanto eu.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Males que vêm por bem

H quer ser pai. Ele e a sua mulher M já tentaram tudo, tratamentos, inseminações, in-vitro, enfim...esgotaram-se as hipóteses "normais" e restam as alternativas mais radicais.

"Então e adopção?", perguntei eu. A ideia não agrada, não seria a mesma coisa, não seria "nosso". Ok, compreendo.

Indo a conversa já longa e pesada, tentei aligeirar o tema: "Podem sempre adoptar um cão!", disse eu sorrindo, em tom de brincadeira.

A resposta desarmou-me: "Isso é uma grande prisão, e depois têm horários para tudo, não podemos ir a lado nenhum descansados, é só chatices e responsabilidades!".

Apesar de chocada, ainda consegui reunir compostura para responder: "Pois..."

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Tarde Outonal em Setembro

Esta foto podia bem ser de uma qualquer tarde cinzenta de Outono, no conforto do lar a descascar nozes enquanto o gato faz companhia a dormitar.
Mas não, foi tirada agora, ainda Verão. A qualidade deixa muito a desejar, tal era a penumbra em que ambos partilhávamos o momento, mas achei digno de registar.


A verdade é que qualquer bocadinho de tempo livre serve para descascar nozes, visto que este saco ainda vai a meio, já enchi 2 frascos de litro, e já me estão a prometer mais um saco.

São coisas que me chegam da "terrinha", como por exemplo maçãs aos montes, com as quais já fiz bolo, compota, bolachas e ainda não as gastei todas!

Vem aí a época dos marmelos...a minha mãe disse-me para desocupar uma banheira! Medo!

sábado, 11 de setembro de 2010

Gatos à solta

A IKEA conseguiu uma campanha publicitária original, e especialmente barata em "cachet" de artistas convidados, ao deixar 100 gatos à solta dentro de uma loja, deixando-os andar à vontade por onde quisessem, enquanto eram filmados, de forma a apanhar as suas reacções naturais e interacções com os objectos.

O resultado é este:



E se quiserem ver o making of, está aqui: http://www.youtube.com/watch?v=vCB7RqGS684&feature=related

Gosto especialmente da parte em que estão a explicar que não são gatos treinados enquanto o bichano arranca o pompom do microfone... :)

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Inconquistável

Quase me passava esquecida esta data. O trabalho e outros temas têm tomado conta do meu cérebro e apesar de ter sempre muito que dizer nem sempre consigo ter o espírito assente para o conseguir transmitir por escrito.

Mas vamos ao que interessa, faz hoje 11 anos nasceu a minha gata, Nikita.
Com um mês de idade, muitos dentes e unhas por todo o lado, tão impossível de tocar como um Diabo da Tasmânia, demos-lhe o nome Russo da famosa assassina dos filmes, entretanto retratada em versões de várias nacionalidades. Acabou por ser uma feliz coincidência, porque ao pesquisar este nome descobri que o nome Russo Nikita deriva do Grego Aniketos, que significa "inconquistável", o que é a pura verdade.

Esta gata nunca deu a mão a ninguém e é um trabalho de tempo e paciência ganhar-lhe uma pontinha de confiança, sendo esta tão frágil como um castelo de cartas, que à mínima traição ou desconfiança se desmorona e retorna ao ponto zero, e tem que se começar tudo de novo.

Vive comigo há 11 anos e apesar de me sentir honrada por ter o estatuto de único ser ao cimo da Terra que lhe pode fazer festas, estas têm de ser dadas em momentos de silêncio absoluto, sem movimentos bruscos, nem objectos estranhos por perto. Adora festas e atenção, mas toma-o como um "guilty pleasure" e por isso são raras as pessoas que a vêm aproveitar esses momentos em que se contorce e ronrona de felicidade. Afinal de contas há que manter a fama de selvagem implacável!

Parabéns Niki, venham de lá essas unhas!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Melancolia

Estes dias cinzentos puxam-me sempre para a melancolia.
Embora sejam os meus dias preferidos para trabalhar, porque não tenho sol nem calor lá fora para pensar em vadiar, acho que são dias bons para ficar enroscada num sítio qualquer a ler um livro, ouvir uma música calminha e apreciar a paisagem, se a houver.

À hora de almoço, numa ida rápida ao supermercado, ouvia no rádio esta música, enquanto apreciava os diferentes tons de cinzento das nuvens lá em cima e tão embrenhada fiquei nesta atmosfera, que quando dei por mim, já ía uns 5 km's mais à frente do que devia.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Enfermeira nas horas vagas

E digam lá que não faço uns pensos jeitosos!


Desta vez, uma unha "encravadódesfeita". Mas para o sistema de protecção de pensos comecei logo pelo açaime com meia, que isto não vai lá com funis!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

BD Caseira XV

Saiu hoje uma BD Caseira, a primeira edição com o Homem-Que-Não-Assina como único personagem. No sítio do costume: Praias e Lazer, Lda.

Vejam e imaginem o tempo que ele não esteve a andar de um lado para o outro, para eu ter tempo de tirar estas fotos todas (não esquecendo que a BD só mostra as escolhidas).

Vida de empresário é assim!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Summer Love

Tu vieste assim de repente, inundaste-me a pele sem pedir licença, e eu deixei, inebriada pela esperança de uma relação duradoura.

Mas ambos sabíamos que um dia isto havia de acabar. Foram semanas a não esquecer, mas agora tenho de te deixar ir.

Adeus querido bronzeado, quem sabe quando nos voltaremos a encontrar.