segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

É deixá-los ser

Decepciono-me facilmente. Talvez porque sonho alto facilmente. Nem é preciso ser alto, sonho só....facilmente.
Fico triste quando alguém não gosta do que eu gosto.
Fico triste quando não consigo transmitir a alegria que algo me dá. Quando os outros não ficam contentes pelo mesmo motivo.
Principalmente quando são pessoas de quem gosto, ou que admiro, fico ainda mais triste.

Bate-me forte quando alguém que eu consigo ver ser alguém no futuro, não se vê a si próprio, e desiste, conforma-se.
Não é nada comigo, só estou ali para ajudar, mas toda a inércia, toda a falta de luta, me deixa triste. Porque eu consigo ver alto, consigo sonhar. E há pessoas que não, às vezes só porque têm medo, outras vezes porque nem sequer querem ver.

Durante quanto tempo devemos insistir para que alguém nos siga, mesmo que à volta tudo pareça um deserto?
Durante quanto tempo devemos puxar a mula, que insiste em espetar as patas no chão?
Durante quanto tempo conseguimos manter o entusiasmo e a força de seguir em frente, carregando connosco um peso que não quer vir?

O ser humano, a sua alma, é capaz de feitos inimagináveis, é capaz de tudo, se quiser.

Quem não quiser, é deixá-lo ser. Se vivemos bem com isso, é deixá-lo ser.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Momento Zen

Feliz Dia de Reis!

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Não é Friday mas faz de conta

É dia de balanços anuais, é dia de escolher resoluções, é dia de estar com quem se gosta, é dia de esquecer tudo o que se fez mal no ano, é dia de nos agarrarmos ao que se fez bem, e é dia de dançar, só dançar.

Hoje é Dancing Friday! Bom 2016!


segunda-feira, 16 de novembro de 2015

D-30

O site da ANSR dizia ter dois locais de atendimento presencial em Lisboa. Pelo Google Maps escolhi o que me pareceu menos problemático em termos de trânsito. Calçada do Combro, nº 39, dizia no site.
Fui de boleia até lá, o Homem-Que-Não-Assina deixou-me perto do nº 49 e foi tentar estacionar. Afinal de contas, até ao 39 não haveria de ser muito. Comecei a descer.

A rua era inclinada, muito inclinada, e os números ímpares sucediam-se...45...41...8, 8?!?!? E a seguir 10, 14, pares? a aumentar?
Olhei para o outro lado da rua e havia um 18, mais acima um 22, mais abaixo um 5, 5?!?!?
Subi um pouco a rua, tentando escapar daquela quinta dimensão, felizmente os números voltavam a fazer sentido, mas demasiados altos, do meu lado 51, 53, do outro lado, 66, 68.
Entrei num talho, nº 51, perguntei pela GNR, disseram-me prontamente "Ah sim! Fica no nº 96!". O talhante dirige-se à porta, pronto a indicar-me o local, eu olho para cima, ela aponta para baixo.

"Ali, ali em baixo, a seguir aos caixotes, onde vai aquele senhor!"

Eu olhei para o senhor, estava perto de onde eu tinha desistido de descer há pouco. Mesmo assim, lá fui eu, atravessei a rua enquanto pensava se o talhante já me vira a passar para cima e para baixo e teria apostado com o colega que me fazia subir a rua novamente.

Cheguei ao nº 5, continuei a descer, a seguir havia um nº 7 com "Posto de atendimento ao público GNR" escrito numa placa da porta. Entrei no nº7 e perguntei ao segurança "É aqui o nº 96?" enquanto pensava para comigo "Ou será o 39?"

E ele respondeu "É sim!"

Entreguei hoje a minha carta de condução. Faltam 30 dias para a ter de volta. The Red Bimmer goza umas férias merecidas.


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Tuturutu Friday

"Ooh baby, I'm hot just like an oven
I need some lovin'
And baby, I can't hold it much longer
It's getting stronger and stronger

And when I get that feeling
I want sexual healing
Sexual healing, oh baby
Makes me feel so fine"

Querida, estou quente que nem um forno...homem que me dissesse isto tinha garantida uma gargalhada alta e longa!

Não sou fã de versões e remix's, especialmente de músicas que já são hinos, mas esta (é clicar no link) surpreendeu-me pela positiva! E lá ando eu o resto do dia a trautear "Tu-tu-ru-tu  tu-ru-tu...."