sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

[100L Discos] III - A Ficha Técnica


Isto de apresentar fichas técnicas de aquários não é fácil. E não falo apenas do facto de ainda estar a meio da introdução de habitantes, mas também pela célebre regra "Peixe grande come peixe pequeno".
Tudo corria bem no meu alegre 100L, depois de introduzir 4 corydoras e 12 neons, foi a vez da tão aguardada chegada dos discos. Ainda mais lindos do que os tinha imaginado, ficaram logo à vontade, passado um dia já comiam e eram claramente os reis do aquário.
Embora o ideal para companhia fossem cardinais, insisti nos neons (por serem mais pequeninos e engraçados) e adicionei mais 10. Um cardume de 22 peixinhos minúsculos ficava mesmo bem em contraste com os "gigantescos" discos já com cerca de 7cm.

Eis que uma semana mais tarde olhei para o aquário e pensei: "O cardume parecia-me maior...!"
Ora, os discos acharam que neon é muito mais saboroso que flocos e granulado...e o cardume já vai em 12! Quando acabar de escrever isto é bem provável que sejam só 10!
Bom...tomei então a decisão de substituir os neons por nariz de bêbedo e comprei alguns para ver se resistem à gula dos discos. Tem corrido bem, já me habituei à ideia de ver os neons desaparecer...a aquariofilia é isto mesmo, aprendizagem, paciência e evolução.
Nos planos futuros está aumentar o cardume de nariz de bêbedo, incluir um pequeno cardume de machadinhas e 2 ramirezis. E fica completo o meu 100L.

Sendo assim apresento a lista actual de material e vivos do meu semi biótopo amazónico. Semi porque inclui espécies de outros continentes e porque só tem 100L reais, o que o torna num mini-habitat.

- Aquário 120L com tampa;
- 2 lâmpadas HAGEN Aqua-Glo 30W T8;
- Filtro EHEIM Classic 2213;
- 5 raízes compradas em lojas da especialidade;
- ph: 6,4; GH: 3ºd; Temp.: 27ºC;

Plantas:

Peixes:
- 2 Symphysodon Aequifasciatus (disco) - ainda estou a tentar descobrir qual a espécie;
- 1 Crossocheilus Siamensis (comedor de algas chinês);
- 2 Corydoras Axelrodi (corydora rosa);
- 2 Corydoras Julii (corydora leopardo);
- 2 Corydoras Aeneus "Albinos" (corydora albina);
- 3 Hemigrammus bleheri (nariz de bêbedo);

E quando acabar de escrever isto vou ser se encontro as machadinhas! :)

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Ai a língua portuguesa...

Um alemão com algumas noções de português ligou-me perto da hora de almoço e perguntou-me:
- Desculpe telefone...agora está comida?

A politica da bananice

Há pessoas que não consigo, nem nunca vou conseguir compreender. E não falo só da pessoa em si, mas também de como se conseguem encaixar no quotidiano.
Falo daquelas pessoas que estão sempre mal dispostas, sempre arrogantes, sempre malcriadas, com toda a gente e mais alguém, incluindo os superiores, os mais velhos e os desconhecidos. Aquelas pessoas que quando são simpáticas nos deixam a pensar se não entrámos de repente noutra dimensão.
Pensem lá bem, de certeza que conhecem pelo menos uma assim, não?

Nao consigo perceber o que as faz ser assim, mas tal é a antipatia que sinceramente também não quero saber. O que me faz realmente confusão é como conseguem estas pessoas manter um emprego, uma família ou mesmo amigos!
Tenho a nítida sensação que se alguma vez agisse assim com alguém, perdia de imediato qualquer tipo de relação com esse alguém.

Por norma, tento sempre que possível manter-me afastada deste tipo de pessoas, porque ter de lidar com elas faz-me mal, envelhece-me e em alguns casos deixa-me fora de mim. Mas há sempre uma ou outra que não posso mesmo evitar, por motivos pessoais, profissionais, etc.

Com estas tenho de fazer uma coisa que odeio, que é ser simpática para quem me faz mal. Como? Respiro fundo sempre que estou prestes a dizer o que penso e faço outra coisa que também odeio: politica. Às vezes sinto-me uma espécie de filtro, onde pára toda a arrogância e malcriadice, e passa apenas o que realmente interessa ao assunto em causa.

Nao sei se isto é bananice ou não, mas o facto é que dou por mim a desejar que essas pessoas ganhem o euromilhões (sim, e não eu!) ou que alguém lhes faça uma proposta irrecusável de emprego (sim, e não a mim!), para que possam mudar de vida e sair de vez da minha!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Passatempo Favorito

É tão bom ter uma casa com portadas! Entre a porta e a portada cabe um gato na perfeição e sempre dá para atazanar a vida à dona que está com pressa para sair de manhã e ainda tem de arranjar forma de tirar o gato dali.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O mar do avesso

Já se fala o suficiente por essa blogosfera fora acerca da destruição na ilha da Madeira. E ainda mais se falará, em especial nas televisões, que vão explorar o tema até acontecer outra desgraça maior ou até que o Ronaldo troque de namorada.
Por isto não vou dizer nada, a não ser que lamento a perda e dor das famílias envolvidas.

E não, não acho que a culpa seja do Sócrates, nem do governo, nem da organização territorial! Simplesmente a Natureza acontece e encontra sempre um caminho! Resta-nos continuar a melhorar com o que vamos aprendendo.

Como manda a tradição, 24 horas depois do temporal na Madeira, foi a vez do Continente sofrer um bocadinho com a chuva e o vento. Também como de costume, o temporal quando cá chega já vem cansado e não se empenha tanto na tormenta.
Sábado de manhã o sol já nos aquecia mas o mar da Ericeira era castanho, ainda revoltado com os maus tratos da noite anterior.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

O Cão dos Infernos II - A insanidade instala-se

Este é daqueles posts que quando o estou a escrever penso: "Ninguém vai acreditar nisto!".
Mas garanto que tudo o que vou escrever é a pura verdade, caros leitores. Há mesmo dias assim!

Ontem fomos finalmente tirar os pontos ao Nero. Radiantes com a ideia de já não haver colares, açaimes e pensos nas nossas vidas, ficámos de rastos com a notícia do veterinário: "Isto já está bom e fica com este novo penso até segunda-feira."
Caiu-nos a radiância ao chão e olhámos um para o outro em desespero, como quem grita: "Só??? São 5 dias!!!!!"

Ao contrário de todos os outros até aqui, este novo penso era vermelho, "porque joga o Benfica", gracejou o veterinário. Sem acharmos graça nenhuma, lá nos resignámos à ideia do colar e do açaime por mais uns dias.

A história continua esta manhã, com o Homem-Que-Não-Assina a acordar-me:
HQNA - Bom dia...
Eu estremunhada - Bom dia.
HQNA - Acho que o Benfica perdeu ontem.
Eu estremunhada - Hum? O quê?
HQNA - Acho que o Benfica perdeu ontem à noite, porque o cão comeu o penso todo.
Eu - Como comeu o penso? Não tem o açaime?
HQNA - Tem!
Eu - Não tem o colar?
HQNA - Tem!
E desatámos os dois a rir à gargalhada! Gostava de acordar assim todos os dias! Mas por razões diferentes, se faz favor!

O meu cão é um artista! O açaime tem umas aberturas para respirar e ele encontrou uma forma de meter lá um dentinho, depois é só ter a noite toda para trabalhar no assunto.
Não sei se já vos tinha dito mas uma característica dos pitbull é que são cães muuuuuito teimosos. Muito mesmo! Dos mais teimosos que existem e a única hipótese que temos é sermos mais teimosos que eles, o que nos pode levar à loucura em alguns casos...

Bom...análises psicológicas à parte, depois de improvisarmos um penso (pela milionésima vez), era preciso arranjar forma de ele o manter o resto do dia. O 2º colar está praticamente destruído, como podem ver pela foto lá em cima, e o açaime está visto que não é solução. Portanto tapei os buracos do açaime com uma meia, que dá para ele respirar mas cosida nas bordas para ele não a tirar, e passo o resto do dia a fazer figas.
Aceitam-se apostas de como conseguirá ele dar a volta ao problema agora. Eu aposto que vai comer a meia!

Como tudo isto não fez com que eu me atrasasse o suficiente, à ida para o trabalho fiquei sem gasóleo a 100m da bomba...numa subida! Bom...sempre deu para estrear o colete e o triângulo e valeu-me Nossa Senhora do Jerrican, que trazia o HQNA dois carros atrás de mim.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Prometido é devido

Fiquei de publicar uma foto melhor do Clark Cat já há coisa de 500 anos atrás (ok, 500 anos não, mas já foi há mais de um ano).
O bicho tem usado outros modelitos (como o da Abelha Maia) e não se tem posto a jeito da foto, mas mais vale tarde que nunca e por isso cá está ele:


O charme, o estilo, a classe...

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

[100L Discos] II - A Montagem



Depois da mega-limpeza, seguiu-se a montagem do novo cenário.
Bom, metade já estava feito, o areão e as raízes estavam prontos. O primeiro habitante, para iniciar o ciclo, embora não muito desejado, também lá estava e apesar de nunca ter gostado dele, só pela resistência que demonstrou ao longo de meses de desleixo e uma semana de limpeza extrema, ganhou o meu respeito e o meu afecto. Merecia ser chamado de "O pequeno gaulês", mas na verdade chamo-lhe Banhas, dado o que engordou nesses tempos áureos em que as algas dominavam o aquário.

A fase seguinte eram as plantas. A "selva" existente tinha sido arrancada e eu tinha agora um monte de plantas emaranhadas pelas raízes:
- limpei e arranjei todas as plantas, podei as raízes e tirei folhas mortas;
- aproveitei cerca de 1/4 das plantas para o novo cenário, e o restante dei a amigos aquariofilistas;
- comprei duas espécies de plantas mais altas, para o fundo, pois todas as que me restavam eram médias ou baixas;
- substituí uma das lâmpadas, que já mostrava sinais de envelhecimento;
- em cerca de 2 dias com "peat" no filtro, o ph baixou dos 7,8 e estabilizou nos 6,6;

O segundo habitante deste novo cenário foi um simpático pleco que se encarregou de limpar todas as algas escondidas em recantos das raízes e folhas que eu não tinha conseguido limpar, e que passou a fazer o serviço de limpeza dos vidros desde o primeiro dia. Nunca mais tive de limpar vidros desde que o tenho. (Bom...era o HQNA que fazia isso, mas pronto, nunca mais foi preciso.) Devido à forma como se prende nos vidros, apelidei-o de Bocas.

E durante uma semana, o Bocas e o Banhas trabalharam na limpeza de algas e restos de tudo o que tinha escapado à minha mega-limpeza.

Com o ph estável e o aquário limpo, comecei a introduzir os novos habitantes, neons e corydoras, e a preparar-me psicologicamente para acolher os discos, o objectivo final.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O Cão dos Infernos

Ora, vamos a contas.
O Nero cortou-se numa pata, levou 4 agrafes.
Levou também um colar para não rasgar o penso.

Dois dias depois já tinha partido o colar e conseguia chegar ao penso.
Fez-se um penso novo e comprei um colar novo, mais comprido.

No dia a seguir já tinha começado a partir o colar e conseguia chegar ao penso na mesma.
Fez-se um penso novo e comprei um açaime, baratinho, de plástico.

Dois dias depois ele partiu o açaime e já tinha partido completamente o colar.
Tirou-se 2 agrafes, fez-se um penso novo e comprei um açaime de cabedal.

Ainda faltam pelo menos 3 dias com penso.
Acho que vou comprar mas é um tranquilizante!!!
.
.
.
.
.
Para mim, não é para o cão, o que é que pensavam?

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Maria vai à Modista

Na série Bolinha vai à Praia, Bolinha vai ao Médico, Bolinha vai à Escola, de certeza que nunca se lembraram desta.

A nossa Maria tem sofrido muito com o frio, treme sem parar e não quer sair da cama por nada, até o apetite lhe falta.
Após procurar camisolas para o tamanho dela a preços acessíveis sem sucesso, este fim de semana, particularmente agreste, decidi meter mãos à obra.
Tarde de domingo, lá fora soprava um vento gélido, levei a "modelo" para a sala e com um pijama velho meu, comecei a tirar medidas.
Uma hora e qualquer coisa mais tarde, era este o resultado:

Estou muito orgulhosa da minha velhinha Borletti.
E a Maria, orgulhosa da dona costureira (espero eu), está muito mais quentinha!

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Sei que gosto dos teus pés...

E o Jorge Palma até tem razão, mas aqui a Margarida Pinto descreve muito melhor o que quero dizer. Porque no fundo é isto:

Feliz Dia de S. Valentim, Homem-Que-Não-Assina!

Vamos a isso Valentins

Bem sei que muitos acham que isto do Dia dos Namorados são americanices, que só servem para alimentar o consumismo.
Mas a verdade é que no mundo apressado cheio de horários apertados em que vivemos, começa de facto a ser importante ter datas específicas para celebrar os valores mais básicos, sob o risco de os esquecermos durante anos a fio, até ao ponto em que, por exemplo, já não conhecemos metade dos convidados do casamento de um familiar próximo.
A família no Natal e na Páscoa, a amizade nos dias de aniversário, a alegria e a traquinice no Carnaval e no Halloween, o amor no Dia de S. Valentim, são valores com datas marcadas, que se devem aproveitar, nem que seja porque são mais um motivo para festejar.

Hoje é portanto o dia certo para reflectir sobre o amor, o que temos, o que damos, o que gostávamos de ter e o que queremos dar. E reflectir não é encontrar razões nem porquês, é apenas apreciar o momento e, mais ou menos lamechas, conforme os gostos, é aproveitar a companhia de alguém e mostrar o que se sente.

Por isso, a todos vós, desejo um excelente Dia de S. Valentim, mesmo aos "encalhados", que este seja o dia em que não vos sobre nada por mostrar. ;)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Cena triste

Aviso desde já que este é um post triste. Não vos vou contar nenhuma história comovente, nem vão ficar deprimidos depois de o ler.
É triste no sentido do ridículo, pela forma como 99% dos leitores vão ficar a pensar: "Não acredito que ela fez isto! Passou-se!". Mas é exactamente isso que quero mostrar aqui, as cenas tristes por que temos de passar às vezes, neste preciso caso, quando se tem um cão hiper-activo como o meu.

Como devem perceber, um cão destes com um colar isabelino é um desastre ambulante. Não tem qualquer noção de espaço e com o poder físico que tem, passa nos mesmos sítios onde passaria sem o colar, sem abrandar ou recuar. Resultado: em 3 tempos o colar está destruído, assim como tudo o que o rodeia, incluindo as nossas pernas. Já desencaixou uma peça no carro do Homem-Que-Não-Assina e já partiu uma peça no meu...entretanto o colar vai perdendo em plástico e ganhando em fita-cola.

Não fosse isto suficiente, o menino tem muito tempo livre para descobrir como chegar ao penso, mesmo com o colar posto. Resultado: desde sábado já vai no 4º penso, apesar dos nossos reforços com meias, sacos e mais uma vez, a boa da fita-cola.

Tudo isto resulta então na derradeira cena triste, que acontece após chegar a casa e encontrar mais uma vez o penso comido, mais um bocado do colar destruído e pensar: "Ainda faltam 5 dias disto!" (isto se ele não conseguir arrancar os agrafes...)
Foi este pensamento que me assolou ontem, ao pagar mais um penso no veterinário, onde já me vêem entrar e perguntam :"Então ele comeu o penso outra vez?"

Por isso, ao chegar a casa, envolvi o novo penso com 2 meias, 2 sacos de plástico, muita fita-cola e, la piece de resistance, uma garrafa de água. Para além de todo este aparato, resolvi reforçar o colar (que já é o 2º desde sábado) e fiz-lhe uma extensão, com umas caixas de gelado recortadas. Quando o Homem-Que-Não-Assina me voltar a chatear que eu guardo tudo, mostro-lhe esta obra de arte. Chama-se reciclagem!

A cena triste é portanto esta:
Um cão mascarado de EcoPonto! E ainda faltam 4 dias! A correr bem....

--------------------------------

Já agora fica a informação para quem deu a ideia do açaime, que já pensámos nisso e está na lista de compras do fim de semana.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

[100L Discos] I - A Limpeza

Escrevi sobre as alterações que fiz ao meu aquário de 100L, incluindo uma lista de material e espécies, em jeito de testemunho para a comunidade aquariofilística, mas quando acabei vi que era um artigo gigantesco, que ninguém (a não ser os doidinhos da aquariofilia e se calhar nem esses) ía ter paciência de ler, portanto reparti-o em 3 capítulos. Este é o primeiro, dedicado à mega-limpeza que fiz. Os próximos serão "A Montagem" e "A Ficha Técnica".

Diz a literatura que um biótopo representa o mais fielmente possível o habitat natural de uma determinada zona ou espécie.
O meu aquário de 100L, depois de uma espécie de biótopo asiático, foi-se transformando num aquário comunitário, acompanhando as minhas (in)experiências, ficando por fim ao abandono, o que resultou num genocídio, do qual só houve um sobrevivente.

Depois de meses a adiar, durante os quais as plantas e as algas tomaram conta do espaço, meti mãos à obra:
- retirei tudo menos o areão e o substrato, incluindo uma camada estranha que se formou de areão-algas-restos de tudo;
- limpei o filtro, com o cuidado necessário para não destruir as bactérias, substituindo metade das massas filtrantes;
- sifonei o areão vários dias seguidos, de tal forma insistentemente que se misturou com o substrato deixando a água castanha e turva;
- com cuidado, paciência, ferramentas aquáticas e nada melhor que fazer, fiz o possível por voltar a enterrar o substrato, ficando praticamente todo coberto por uma fina camada de areão;
- esterilizei todos os pedaços de madeira (raízes) e compus um cenário amazónico (pelo menos na minha cabeça);
- fiz mais uma limpeza ao filtro, no qual incluí "peat" (ou "turfa", uma massa filtrante para baixar o ph de forma natural) e deixei-o acabar o trabalho de limpeza da água.

Convém dizer que ao longo de tudo isto, havia um habitante no aquário...sim, o tal! Esta foto foi tirada depois da montagem final e "ó p'ra ele tão saudável"!


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Preparados para o Carnaval

Lá em casa já está tudo preparado para o Carnaval. E vocês?

O Lucas vai de Abelha Maia:

"Num país cheio de flores, nasceu um dia uma abelha..."



O Nero vai de Buzz Lightyear:

"To the Infinity and Beyond!"

Não, não vesti o cão assim de propósito para o Carnaval....levou 4 agrafes numa pata porque se cortou a correr na praia.
Fica aqui o aviso, é favor não atirar lixo para o chão. O próximo que eu vir a fazer algo do género, envio-lhe a factura do veterinário...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Estamos em 14º

Pessoal, como é? Já votaram nos meus meninos?
Não custa nada, é só um clique!

Desde já agradeço pelos felinos lá de casa.

A Bela e o Paparazzo

Gostei! E não só gostei, mas gostei mesmo muito.
Acho que nunca me ri tanto com o filme português, mesmo com os antigos , que sempre adorei.
A realização é excelente, com bons planos, os textos são muito bons, originais e com um humor actual. Os actores foram muito bem escolhidos e há ali momentos a recordar. Para mim só peca em duas categorias, o som e o argumento.
Todas as cenas de exterior tiveram de ser dobradas, provavelmente por não conseguirem filtrar o ruído de fundo. E a história está de facto muito vista e todo o enredo é previsível, mas ok, é compensada pelos textos que nos consegue arrancar boas gargalhadas e pelos planos escolhidos, que ajudam muito a contar a história.
Não vos vou contar nada do filme, aconselho mesmo a irem ver, é um filme português que surpreende. Só vos digo isto: se há coisa útil de se ter na cozinha é uma raquete de ténis!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Todos a Votos

Toca a votar das fotos do Lucas e do Ciro publicadas na página da Whiskas Dental Protection. Está AQUI. As fotos são estas duas, é só procurá-las na galeria.

As 10 fotos com mais votos ganham uns saquitos de ração. Dava um jeitaço lá em casa. Vá, sejam simpáticos e toca a votar.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Os Revolucionários do PowerPoint

Estou sinceramente a pensar criar um filtro no meu mail para apagar automaticamente todos os mails com assuntos que contenham as palavras "Sócrates", "Governo", "Portugal", "nosso país", e afins. Já estou farta! Chega!
Não sou a favor nem contra os senhores que lá estão, sinceramente estou-me nas tintas para se ganham muito, se roubam pouco ou se dão emprego à prima do piriquito da vizinha.

Não quero saber o que se ouve nas escutas, não quero ver listas de ordenados maiores que o meu, e acima de tudo não quero ver a nossa bandeira nacional esparramada em tudo o que é powerpoint, com montagens do primeiro-ministro e do marquês de pombal!

Se há coisa que estes "artistas" do powerpoint e do paint não percebem é que seja qual for a cor dos que lá estão, será sempre assim, haverá sempre injustiças, haverá sempre quem esteja em vantagem.

Mas acima de tudo, antes de dizerem que estamos pior que nunca e a caminhar para o abismo e outras coisas dignas do apocalipse, pensem lá bem, senhores revolucionários: hoje em dia sabem os nomes, os valores, os conhecimentos, as amizades, os apitos e os vícios dos poderosos. Todo esse conhecimento é positivo, para quem se interessa, claro está!

Há 10 ou 20 anos sabiam o quê? Nada!
Pior que nunca? Só se for para quem tem algo a esconder.

Rai's Part'a Marmota

Foi na passada terça-feira, dia 2 de Fevereiro, o Dia da Marmota. É o tal dia em que toda uma multidão se reúne junto à toca da marmota, em Punxsutawny, na Pensilvania, à espera de saber a previsão meteorológica para as próximas semanas. O evento data de 1886 e a marmota actual chama-se Phil.
Ora, o raio da marmota saiu e, como viu a sua própria sombra, voltou a entrar, o que significa que haverá mais 6 semanas de Inverno.
O site oficial da coisa é este: http://www.groundhog.org/

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Valha-me Nossa Senhora da Vitamina

Eu sei...esta imagem é nojenta, mas vocês conhecem o canal cárpio (ou túnel carpiano)? Ora, diz o médico da medicina do trabalho que tenho o da mão esquerda entupido.
Eu cá não sei se isto será caso para chamar o canalizador mas o facto é que dá umas dores jeitosas e uma falta de força e de sensibilidade embaraçosas.

Basicamente o que ele me explicou é que este é o canal por onde passam os nervos que comandam a mão e que ao estar obstruído os nervos são pressionados causando muitos sintomas, desde o formigueiro à dor intensa, passando pelo deixar cair objectos, nomeadamente os potes da comida dos gatos (foi a festa da ração lá em casa!) ou os sacos das compras (e viva o HQNA!).
Vai daí estou a vitaminas, basicamente B1, B6 e B12, a ver se a coisa passa.

Sim, encontrei uma excelente desculpa para não treinar, lá isso é verdade, mas por acaso eu agora até queria ir dar uns tiros...(snif!)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Como cortar as unhas a gatos difíceis

Material:
- 1 gato(a) extremamente arisco, que nunca se deixa agarrar;
- 1 corta-unhas;
- 1 casa com 2 pisos (ou pelo menos com 2 áreas bem diferenciadas)
- 1 aspirador barulhento.

Instruções:
- Ligar o aspirador no máximo no piso 0 (ou na área A);
- Esperar alguns segundos até que o(a) gato(a) fuja para o piso 1 (ou área B);
- Deixar o aspirador ligado no piso 0 e seguir até ao piso 1 (ou área B) com o corta-unhas;
- Encontrar o esconderijo onde o animal se está a fingir de morto;
- Cortar-lhe as unhas calmamente, sem pressas;
- Desligar o aspirador.

Método científicamente comprovado, devidamente testado em gata assassina.
Nenhum animal foi ferido ou magoado no decorrer desta operação.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Sentimentalismo Electrónico

Ao longo dos anos desenvolvi sem querer uma actividade bastante reconhecida, principalmente entre a família, de "Desempanadora de PC's".
Ora é o PC da mãe, ou o do pai, ou o do primo, ou o do colega, ou o do amigo, tenho sempre pelo menos um computador lá em casa para "desempanar". Já perdi a conta ao número de discos que formatei, ao número de Windows que instalei, ou mesmo ao número de vezes que vi a mensagem "Prepare-se para entrar pela primeira vez (só podem estar a gozar) no Windows 98".

Gostava um dia de começar a cobrar este favores, ao fim deste tempo todo, ora deixa cá ver, a 20€ a hora....uuuuiiiiii! Já dava para comprar um "desempanador automático"! Mas não me chateia ser de borla, afinal são família e amigos. O que me chateia é serem quase sempre PC's da idade da pedra, que mesmo depois de desempanados, pouco mais utilidade poderão ter que um pisa-papéis!
Por exemplo, neste preciso momento tenho lá 2 PC's de terceiros à espera de "desempanagem", um deles tem 3 teclas que não funcionam (dá imenso jeito para inserir chaves de software), o outro já é cliente habitual da casa, será para aí a 10ª vez que lá vai, e quando chega pede "o costume".
Ok, podem dizer que estou a ser insensível, se calhar são peças com valor sentimental para os donos, mas vamos lá ver.....há que aceitar o facto de que o tempo deles chegou.

Não me estou a baldar à nobre tarefa que me confiam, mas no meio disto tudo há meses infinitos que o meu próprio PC espera que eu tenha tempo para o desempanar.
Desta vez decidi arranjar o meu primeiro e já há algum tempo que ando dedicada ao meu monstro ACER, como lhe chamo carinhosamente, dado que chamar-lhe portátil é o mesmo que chamar discreto ao José Castelo Branco. Já o formatei 500 vezes, já lhe tentei instalar o Windows 7, o XP, o 98, o Ubuntu, o Caixa Mágica, sei lá! O facto é que ele desistiu de viver, e não deixa que nenhum sistema operativo o convença do contrário! E apesar de ele não ser ainda da idade da pedra, ter ainda muito para dar, ter um ecrã que nunca mais vou encontrar igual num portátil e ter um valor sentimental acrescido para o meu gato mais novo que gosta de se deitar em cima dele, já ando a ver preços, a pensar na troca inevitável.

Na semana passada, no trabalho, avariou-se um PC do qual sou responsável desde os tempos do emprego anterior. Foi-se a motherboard. Pedi um novo. Não posso negar que depois de anos e anos a tomar conta dele, a instalá-lo, configurá-lo, a programar nele, me custou muito ter de aceitar a sua ida. Era uma porcaria de um monte de placas, mas depositei ali muitas horas de trabalho, disse-lhe muitas vezes "Sou muita esperta, não sou?".
Custou-me ver a nova caixa no lugar da anterior, reluzente nas suas linhas modernas, custou-me ligá-lo e não ver os erros do costume, sou uma sentimental (já o tinha dito aqui) e até um PC me faz lembrar de episódios importantes da minha vida, por isso compreendo a aflição dos meus "clientes" ao verem os seus queridos "pisa-papéis" empanados.

Mas há algo que é importante não esquecer quando nos começamos a apegar a estes "bichos".
O meu chefe perguntou-me como é que isto acontece, porque é que se avariam os computadores, eu respondi-lhe: "É electrónica! Acontece!"