quinta-feira, 2 de maio de 2013

Porque a descriminação não olha a meiguices

Sob o pânico do canil habitual não estar disponível, tive de pesquisar opções para uma estadia do nosso Nero.
Quando telefono para um sítio qualquer, é normal fazerem-me uma pergunta inicial sobre qual o porte do cão, o que acho normal, porque tem a ver com o tamanho das celas disponíveis. Mas quando a primeira pergunta é qual a raça do cão, fico logo de pé atrás no resto da conversa e acabo por ser muito mais exigente nas questões que coloco.

Acabei por descobrir um sítio pertíssimo de casa, muito barato, mas onde decidi não deixar o meu cão. Porquê? Ora deixa ver: por ser um pitbull, iría ficar fechado dentro da cela durante toda a estadia, a comida era dada através de um comedouro automático e não teria direito a passeio nem interacção, quer com cães, quer com pessoas. Independentemente do seu comportamento.

Sim, eu aceitei pagar mais 4€ por dia para que o meu cão possa esticar as pernas, ver pessoas e brincar todos os dias. E já agora, continuar a ser um pitbull sociável.

Sem comentários: