quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

[100L Discos] I - A Limpeza

Escrevi sobre as alterações que fiz ao meu aquário de 100L, incluindo uma lista de material e espécies, em jeito de testemunho para a comunidade aquariofilística, mas quando acabei vi que era um artigo gigantesco, que ninguém (a não ser os doidinhos da aquariofilia e se calhar nem esses) ía ter paciência de ler, portanto reparti-o em 3 capítulos. Este é o primeiro, dedicado à mega-limpeza que fiz. Os próximos serão "A Montagem" e "A Ficha Técnica".

Diz a literatura que um biótopo representa o mais fielmente possível o habitat natural de uma determinada zona ou espécie.
O meu aquário de 100L, depois de uma espécie de biótopo asiático, foi-se transformando num aquário comunitário, acompanhando as minhas (in)experiências, ficando por fim ao abandono, o que resultou num genocídio, do qual só houve um sobrevivente.

Depois de meses a adiar, durante os quais as plantas e as algas tomaram conta do espaço, meti mãos à obra:
- retirei tudo menos o areão e o substrato, incluindo uma camada estranha que se formou de areão-algas-restos de tudo;
- limpei o filtro, com o cuidado necessário para não destruir as bactérias, substituindo metade das massas filtrantes;
- sifonei o areão vários dias seguidos, de tal forma insistentemente que se misturou com o substrato deixando a água castanha e turva;
- com cuidado, paciência, ferramentas aquáticas e nada melhor que fazer, fiz o possível por voltar a enterrar o substrato, ficando praticamente todo coberto por uma fina camada de areão;
- esterilizei todos os pedaços de madeira (raízes) e compus um cenário amazónico (pelo menos na minha cabeça);
- fiz mais uma limpeza ao filtro, no qual incluí "peat" (ou "turfa", uma massa filtrante para baixar o ph de forma natural) e deixei-o acabar o trabalho de limpeza da água.

Convém dizer que ao longo de tudo isto, havia um habitante no aquário...sim, o tal! Esta foto foi tirada depois da montagem final e "ó p'ra ele tão saudável"!


Sem comentários: