quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Chamem um exorcista

Vai para 3 dias que estou possuída. Há algo em mim que me impede de agir e falar normalmente. Afecta-me a voz, a respiração, todo o corpo.

Sinto-me como se uma força invisível me empurrasse constantemente para baixo, acrescentando-me peso, tornando todos os meus movimentos mais lentos, mais pesados, mais difíceis. Ao fim de um dia a carregar este peso, sinto todo o corpo dorido, mole, fraco.

Só me apetece respirar fundo e não consigo, como se uma mão invisível me apertasse os pulmões.

Quanto tento falar, a minha voz sai grave, não é a minha voz, não sou eu a falar, sinto que um ser estranho se apoderou das minhas cordas vocais e se eu me esforçar por combatê-lo, faz-me explodir num ataque de tosse e não consigo articular nem mais uma palavra.

Vai para 3 dias que estou com gripe e quero expulsá-la do meu corpo.

A única coisa positiva nisto tudo é que hoje o Homem-Que-Não-Assina disse-me uma frase romântica: "És a minha ranhosa!"

Ranhosa é fofinho...

Sem comentários: