quinta-feira, 3 de junho de 2010

De pé, para ver ao longe

Há dois tipos de pessoas no mundo, as que têm e as que não têm.
Não falo de dinheiro ou bens, falo de outra coisa, para a qual não consigo arranjar um nome certo, mas a que costumo chamar "olhar mais além".
Nem sempre consigo ver de imediato se determinada pessoa tem ou não tem, mas as que conheço melhor, que convivem comigo, vou conseguindo avaliar.
Uma das pessoas que indiscutivelmente tem, e não é porque gosto dele que digo isto, é o Homem-Que-Não-Assina. Tanto tem que faz hoje um ano provou isso mesmo, ao dar o passo mais importante, ao tomar a iniciativa em arriscar numa nova carreira.

Recentemente surgiu-lhe um dilema profissional e pedindo a opinião de todos à sua volta, fui a única a discordar da opinião geral, mas dada a minha posição na "cadeia" de amigos acabava por ter um certo peso. Senti-me culpada, por momentos pensei estar a ser egoísta e tive medo que ele me tomasse por mais uma "gaja" que usa a chantagem emocional como meio para tudo.
As palavras falhavam-me, cada vez que se tocava no assunto, tinha a sensação de nunca conseguir transmitir exactamente o que pensava, tal como ainda hoje não consigo definir a palavra para isto do "ter".
Entretanto lá consegui fazer chegar a minha mensagem e ele compreendeu, e por coincidência apareceu na mesma altura uma oportunidade de negócio que reforçou a minha teoria.

Sim, podem chamar-me gaja manipuladora, megera chantagista, se não percebem as minhas intenções podem chamar-me o que quiserem, basicamente o que lhe disse e digo hoje outra vez, é que ele TEM, e acho que isso é de aproveitar, porque não é qualquer um que tem. É preciso coragem para ter, mas ao mesmo tempo ser honesto e humilde para não perder o controlo, é preciso olhar mais além. Acredito que é possível pensar grande, com os pés ainda na terra. Deixemos o pensar pequenino para os que não têm.

Como nunca consigo expressar tudo o que me vai pela cabeça, e fico sempre com a impressão de não ter explicado o suficiente mesmo depois de um texto comprido destes, deixo a música mostrar por mim. Homem-Que-Não-Assina, esta é para ti:

Sem comentários: