quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Inconquistável

Quase me passava esquecida esta data. O trabalho e outros temas têm tomado conta do meu cérebro e apesar de ter sempre muito que dizer nem sempre consigo ter o espírito assente para o conseguir transmitir por escrito.

Mas vamos ao que interessa, faz hoje 11 anos nasceu a minha gata, Nikita.
Com um mês de idade, muitos dentes e unhas por todo o lado, tão impossível de tocar como um Diabo da Tasmânia, demos-lhe o nome Russo da famosa assassina dos filmes, entretanto retratada em versões de várias nacionalidades. Acabou por ser uma feliz coincidência, porque ao pesquisar este nome descobri que o nome Russo Nikita deriva do Grego Aniketos, que significa "inconquistável", o que é a pura verdade.

Esta gata nunca deu a mão a ninguém e é um trabalho de tempo e paciência ganhar-lhe uma pontinha de confiança, sendo esta tão frágil como um castelo de cartas, que à mínima traição ou desconfiança se desmorona e retorna ao ponto zero, e tem que se começar tudo de novo.

Vive comigo há 11 anos e apesar de me sentir honrada por ter o estatuto de único ser ao cimo da Terra que lhe pode fazer festas, estas têm de ser dadas em momentos de silêncio absoluto, sem movimentos bruscos, nem objectos estranhos por perto. Adora festas e atenção, mas toma-o como um "guilty pleasure" e por isso são raras as pessoas que a vêm aproveitar esses momentos em que se contorce e ronrona de felicidade. Afinal de contas há que manter a fama de selvagem implacável!

Parabéns Niki, venham de lá essas unhas!

5 comentários:

al disse...

Parabens Niki! eu tambem te fazia muitas festinhas e recebi muitos ronrons e dormiste belas sonecas no meu colo, mas fora os nossos momentos "intimos"... tens tantos bicos!

SS disse...

Nas minhas visitas a casa da avó AL o Lucas vinha sempre á porta já a Niki... bem a Niki enfiava-se na banheira escondida atrás do cortinado.
Pensava ela porque eu ia sempre lá dizer-lhe olá :) e ela olhava para mim com aquele ar "fogo, nem aqui me safo"

PARABENS NIKI!

Kawamura disse...

Aawww.... Cute. Também tive uma assim: preta e arisca cumó raio! Parabéns à bichana e à dona babada :)

Angelo disse...

Uhuhu... tinha um gato, mas ele foi pro céu dos gatos, faz um mês.

Chamava Cat'sbeer.

Inkurrecto disse...

Pode não ter nada a ver, mas já pensaram que a ariscosidade do felídeo possa dever-se ao facto de o patronímio atribuído ser do género masculino, o que pode melindrar a feminilidade do indivíduo em questão?