terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Podia ser pior

Diz um amigo meu, quando a vida não lhe corre bem, ou mesmo muito mal, que podia ser pior!

Agarro-me a estas palavras com todas as forças, quando atravesso maus bocados. E está naquela altura do ano de fazer balanços e retrospectivas e traçar objectivos para o ano seguinte e estas palavras são bem capazes de ser a minha frase eleita do ano.

Que posso dizer?

Comecei o ano a perder um bicho de estimação, acabei o ano a perder outro. Desta última vez, tal foi a dor, a falta de sentido, a perda de palavras, o remorso por não ter escrito nada de jeito quando foi a vez do Lucas, que escrevi vários post's mentais mas não teclei nenhum. Mas sim, perdemos a Maria este mês.
Podia ser pior? Podia, ela podia não ter tido uma boa vida de cão, podia ter partido mais cedo, ou eu podia ter perdido mais bichos.

A saúde geral da família não é a melhor, com sequelas previstas para 2015, mas que só posso pensar que tenham finais felizes. Eu própria padeci grande parte do ano de uma conjuntivite crónica/alérgica/ó raio que a parta, que suspeito agora ser afinal activada por stress.
Podia ser pior? Podia, em casos de saúde podia sempre ser pior.

Na minha constante batalha profissional para atingir objectivos e alcançar ambições, vi o meu castelo de planos desmoronar-se à minha frente e ser invadido pela frustração. A estrada está agora cheia de destroços e sinceramente não sei muito bem por onde ir nem onde posso pisar.
Podia ser pior? Podia, podia até nem sequer ter emprego!

Bateram-me duas vezes no The Red Bimmer (e agora penso melhor se devia escrever isto porque afinal de contas o ano ainda não acabou...). Podia ser pior? Podia, podiam ter batido 3 vezes.

Se 2014 podia ser pior? Claro que sim! O amigo dono destas palavras foi pai. E com isto, afinal de contas, 2014 foi um grande ano!

1 comentário:

Afonso Loureiro disse...

Lamento a perda da Maria e da sua boca cheia de dentes e baba que me abocanhou várias vezes as mãos.

Mas lá está, podemos sempre pensar em coisas piores...

Não contes a ninguém, mas esse é o verdadeiro optimismo, saber que a situação pode ser sempre mais desagradável do que é.

Lembra-te do filme Young Frankenstein. O Dr. Frankentein reclamava que nada podia ser pior do que estar a cavar uma sepultura à noite com lama pelo joelho e o Igor diz-lhe que podia ser pior, porque porque podia estar a chover.

2015 tem poucas horas, mas já podia ter corrido pior do que correu não é?