quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O tempo não espera

Os dias correm como doidos e quando damos por isso já se passaram meses, às vezes anos desde um determinado acontecimento.
Quantas vezes já vos aconteceu ouvir uma notícia na televisão sobre o aniversário da morte de alguém ou de um qualquer desastre natural e dizerem: "Já foi há tanto tempo? Parece que foi ontem!".
Pois é mesmo assim, o tempo não espera por ninguém e a pior situação de todas é quando descobrimos que já é tarde demais.
Sou uma pessoa distraída, esquecida, por vezes preguiçosa e por estas razões a única forma de me domesticar a mim mesma para resolver questões é tomar resoluções, como as de fim de ano, coisas do tipo: a partir de agora, e custe o que custar, venha chuva, sol, trabalho, sono ou preguiça, faço o auto-compromisso de só comer uma coisa doce por dia, beber pelo menos 1 garrafa de água por dia, brincar pelo menos 5 minutos com o meu cão todos os dias, namorar pelo menos 5 minutos com o HQNA todos os dias, coisas assim... E quando me aplico nestes compromissos, raramente falho.

Há quanto, caros leitores, é que não fazem algo?
Há quanto tempo não vão jantar fora ? (sim que a vida está cara, mas podem sempre repartir uma dose)
Há quanto tempo não fazem exercício? (andar de elevador e conduzir não conta)
Há quanto tempo não fazem algo espontâneo? (mudar de caminho à ida para casa, trocar o carro por uma mota ou mesmo pedir a menina do café em casamento, embora seja melhor primeiro convidá-la para jantar)

2 comentários:

al disse...

isso mesmo mantem essa determinação porque o que realmente conta na vida são os projectos que concretizamos. Não queiras saber o que doi quando ja nao é possivel concluir um projecto de intenções.

Cardoso disse...

Desde quando é que conduzir não conta.....................