segunda-feira, 11 de maio de 2015

Curto Circuito Mental

Nero, o Cão, vive pacatamente no seu quintal, e agora sem a fiel amiga Maria, passa os seus dias ora deitado, ora estendido. Não quero aqui dizer que ela era má influência, que não se diz mal dos falecidos (ai, era tão boa pessoa...perdão, cadela), mas os dias são tão pacatos que até retirámos a vedação para o estendal da roupa e já nos sentimos seguros o suficiente para voltar a ter tapete de entrada.

Ora, se um cão, cuja maior preocupação no mundo é a dúvida atroz que o assola diariamente acerca de se levantar ou não para ladrar ao senhor que vai tratar da horta ao lado, tem certo dia um curto-circuito mental, sem dúvida causado pelo grande stress de não ter ladrado tanto quanto o agricultor merecia, que o faz devorar um saco de terra de 10Kg, provocando-lhe depois uma tal indisposição intestinal que fica a produzir solo adubado durante mais 5 dias, como há-de um humano suportar todas as afrontas diárias ao seu ser racional sem reagir nem uma vez fora dos padrões considerados normais?


Sem comentários: