segunda-feira, 30 de junho de 2014

Havias de ser meu filho!

É uma coisa que digo há muitos anos aos mariquinhas e esquisitinhos, já o dizia antes de ser mãe ou pensar nisso sequer e continuo agora a distribuir o "piropo" a todos os que não se esforçam, desistem à primeira...enfim, os nhonhinhas!

Ai, não gosto disto, ai aquilo faz-me impressão, sim, sim, eu sei, é o título deste blog, mas a verdade é que me fartei de comer ervilhas e nabos até não restar dúvidas que não gosto! E porquê? Porque a minha mãezinha não papa grupos!

E depois deste belo discurso, eis que dou por mim já há uma semana a fazer experiências ao pequeno almoço com iogurte, chocolate em pó e outras mariquices, porque tenho um puto que não gosta de leite e deixa cá ver se o menino assim já gosta e não sei mais quê e "Havias de ser meu filho!" Ah! espera...

2 comentários:

al disse...

Calma meu amor, ser mãe não é ser radical. É saber dosear e amar tendo sempre a certeza de ser o mais justa possível e nunca duvidar de ter feito aquilo que achamos melhor para o futuro e bem estar dos filhos. Não é ser carrasco é amar incondicional mente educando o melhor que podemos e sabemos. Se esticar muito a corda pode partir mas se largar muito pode fugir...equilibrio é a chave! Amo-te

Mr Goldfish disse...

Não sou pediatra - nem tão pouco pai - mas parece-me que o problema é que leite de vaca é feito para alimentar bezerros e não os filhos de seres humanos. Nunca percebi porque é que a raça humana começou a dar de beber leite de vaca a miúdos (e graúdos) dado que é feito para animais muito maiores e que têm um estômago (ou 4, depende da interpretação) preparado para processar o leite.

Não percebo é como é que não há mais pessoal intolerante à lactose!