segunda-feira, 7 de março de 2011

Adrenalinoólico

Maluquinho das velocidades desde que o conheço, o Homem-Que-Não-Assina vibra com rotações, binários, potências e acelerações.

Quando surgiu a conversa de comprar uma mota nova, corria assim a conversa:
HQNA - Tem de ser uma 1000.
Eu - Mas porque é que não pode ser uma 600?
HQNA - Porque não chega aos 300...

E é assim nas motas, nos carros, no trabalho, e em tudo. Um filme tem de ter cenas de acção constantes senão é uma seca, o trabalho tem de ser feito, mal ou bem (de preferência bem), mas sem momentos mortos, para o Homem-Que-Não-Assina a vida tem de ser cheia de acontecimentos, senão não presta.

E em alturas destas em que a minha vida se precipita de tal maneira que nem tempo tenho de vir ao blog satisfazer a vossa sede de disparates, entre os trabalhos, os treinos e as futuras aulas (sim, vou isso tambem mas fica para outro post), penso que é provavelmente por isto tudo que ele gosta de mim, porque estou sempre a acontecer!

Sem comentários: