quinta-feira, 29 de março de 2012

E acordar? Não?

Hoje tive a prova que o meu cérebro demora algumas horas a acordar.

Dei boleia ao Homem-Que-Não-Assina e ía a explicar-lhe de como faço a minha escolha diária de passagem pela Malveira, conforme haja feira ou não. Logo após explicar-lhe que muitas vezes não me consigo lembrar que dia da semana, por ser tão cedo, fiz a manobra habitual em direcção ao meu destino (oposto ao dele), ao que ele responde:

- Então? Vais a falar comigo e viras como se fosses sozinha?

A esta hora da manhã o meu cérebro ainda acredita em hologramas.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Morte aos caracóis

Depois de uma manhã intensa de agricultura, a preparar um mega-vaso para plantar alfaces, eis que construí finalmente a minha mini-horta no quintal. Depois do plantio, tinha 10 alfaces-bebé viçosas, prontas a crescer e a fornecer salada para o resto do Verão. E que orgulhosa eu estava...
Mas esta manhã quando fui regar a minha horta, encontrei uma alface comida. E não estou a falar de uma folhinha roída, não, não, foi mesmo a alface toda!
Nem sinal de caracóis por perto, mas eu sei que são eles os responsáveis. Não perdem pela demora, mais logo, ao pôr do sol, vou fazer um raide anti-caracol ao quintal. Faço-lhes uma espera...
Andei a ler que não gostam de cheiros fortes, como a alfazema, mas eu sou mais radical e bem capaz de, por exemplo, electrificar os vasos.....NHA HA HA HA HA! (ler com tom maquiavélico)
Até calha bem, que o Homem-Que-Não-Assina gosta muito de caracoleta na chapa...

sexta-feira, 23 de março de 2012

1,2,3...respira fundo outra vez

Sabem aquelas pausas que a gente faz antes de recomeçar a falar numa conversa, para repensar aquela frase que está ali prontinha a sair, cheia de verdade e acutilância?

Pois....tenho feito muitas dessas pausas. Acabei de fazer uma. Felizmente é sexta-feira e já só faltam 50 minutos para o mundo ser um sítio melhor.

quarta-feira, 21 de março de 2012

De onde vem a incompetência

Há quem diga que a incompetência é inata, que se nasce com a habilidade de não saber fazer nada.

Mas não é bem assim. Primeiro que tudo há várias maneiras de ser incompetente, e a que mais me afecta é quando somos forçados a sê-lo. Afinal de que vale remar sozinho contra a maré se os outros tripulantes remam todos a favor dela?

No momento em que nos apercebemos disso, é uma estupidez e uma perda de tempo continuar a tentar ser profissional e competente. E só mesmo a renda da casa por pagar nos prende a um lugar onde temos de agir assim.

Há sim senhor os incompetentes natos, mas acredito que há muitos que começaram a sua carreira na incompetência mais tarde, quando desistiram de se esforçar.


terça-feira, 20 de março de 2012

Pensamentos que me assolam

Em dias de maior desespero dou por mim a pensar se haverá de facto assim tanta estupidez no mundo ou se sou só eu que tenho azar e há uma grande concentração dela à minha volta.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Missão cumprida

Dar banho ao cão, sozinha.

O material: check!


















O cão: ainda não sabe, mas... check!














Banho: check!


Ignorem o facto de o cão estar preso durante a tarefa...pormenores, pormenores.
O que interessa é que está lavado!

terça-feira, 13 de março de 2012

Os que roubam a sério

Digo muitas vezes cá para mim que se algum dia apanhar um ladrão a roubar-me, espanco-o até não poder mais das mãos.
E era bem provável que sim, porque se há coisa que me irrita é andar a trabalhar todos os dias para depois um palerma inútil, que passa o dia no café, levar tudo em 2 minutos sem esforço nenhum.
Era bem provável que esse traste apanhasse não só por me estar a roubar naquele instante, mas por todos os outros que não consegui apanhar até hoje, e também por mais alguma coisa que me esteja a moer na altura.

O que é certo é que o ladrão vulgar, dá sim senhor o transtorno do instante, mas não é ele que traz os maiores custos, e não é ele que rouba a sério. Esses palermas, estúpidos e ignorantes, com habilidade para sacar as carteiras às senhoras e partir vidros de carros, embora mereçam uma grande carga de porrada, sim senhor que merecem, ainda assim são só uma amostra perto dos que se descobrem quando se começa a tratar dos assuntos pendentes do incidente.

Por exemplo, ficam a saber que no seguro de "Quebra isolada de vidros", a palavra chave é "isolada", porque é mesmo só para vidros partidos e nada mais. Nem se atrevam a ligar para o seguro e dizer que vos partiram o vidro para roubar não sei quê, porque aí passa a ser furto e já não há vidro para ninguém.

Ou então, imaginem que vos roubaram a pen de acesso à banda larga, aquela que não se paga mensalidade por fazer parte de um pack televisão+net+telefone. Se tinha pin de acesso, nem se dêem ao trabalho de pedir outra, a não ser que precisem mesmo, porque anular o serviço por motivo de roubo é o mesmo que cancelar o contrato antecipadamente, que leva a um custo (por uma pen que não tem mensalidade) de 12€ por cada mês que falta cumprir do contrato.

Já agora, deixo aqui 2 recados para o próximo delinquente. Da próxima vez é favor partir o vidro da direita porque os vidros novos são diferentes dos antigos. E se eu o apanhar, fica a saber que após o espancamento vai ficar o tempo necessário a retirar micro-vidrinhos do enrolador da chapeleira.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Pena não vir com detergente

Até que enfim que choveu, estava a ver que ía ter de lavar o carro...

S. Pedro, para a próxima isso pode vir com aquele produto para lavar as jantes? Obrigado.