segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Uma perturbação na força

A perda de alguém ou de algo provoca sempre um desequilíbrio. Muitas vezes o equilíbrio é conseguido novamente e rapidamente, de forma natural, mas há outras situações em que simplesmente não chega esperar.

A minha casa está desequilibrada, há dois cães no quintal, dois gatos em casa, duas pessoas. Só pelos números parece fácil atingir o equilíbrio, mas de facto não é nada fácil, porque falta uma peça.

Passou um mês e meio desde que morreu o Lucas e esperamos até hoje que os 2 gatos que restam se entendam entre si, mas cada vez mais nos apercebemos que isso não será possível. Para nós a vida é só um bocadinho mais triste com um amigo a menos e já nos habituámos à ausência, mas para eles falta o líder e ambos estão nitidamente desorientados sem ele. O Ciro, com muita falta de companhia, está extremamente carente e a Niki com falta de liderança, tornou-se num bicho ainda mais selvagem e agressivo do que já era. E os dois nunca estiveram tão inimigos.

Sei que é necessário fazer algo e rápido, para retornar ao doce equilíbrio festivo e amigável que se vivia dentro de casa. Talvez introduzir um dos cães em casa, com tempo até os dois, foi uma das ideias que já me passou pela cabeça, mas a verdade é que algo tem de ser feito para que eu possa voltar a dizer "A minha alegre casinha" e não "A minha casa que agora tem como banda sonora: FSSSSSSS, RNHAUUUU, FFFFFF, etc.".

Estamos a pensar numa solução, os bichos fazem parte da família e a família tem de estar toda feliz. Era nestas alturas que fazia falta um "Cat Whisperer". Será que o Cesar Millan não tem um amigo?

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Surpresas agradáveis


Encontrar um pacote de bolachas esquecido na gaveta. (ainda comestíveis)

Melhor que isto só quando encontro uma nota de 20€ numas calças que foram para lavar.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Desta vez estão avisados

http://aeiou.expresso.pt/em-2013-tambem-nao-havera-tolerancia-no-carnaval=f706429

E mesmo assim aposto aqui e agora que daqui a um ano estão as escolas de samba todas a chorar que "gastámos tanto tempo e dinheiro na festa e agora ninguém vem".


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Brady, faz-me um ....

Sabem aquela tendência especial que tenho para nunca poder estrear os brinquedos novos que compro?

Ora, conforme já devem ter percebido, ando em luta com uma gripe que não me quer largar e à qual já atribuí o título "A grande gripe de 2012" para mais tarde recordar.

Já lá vão 2 semanitas de tosses, espirros, expectorações e outras coisas nojentas, e lido agora apenas com a habitual falta de voz e uma tosse persistente, e com uma falta de força e resistência física irritantes.

Ora, seguindo a tradição, se eu estou neste estado, é claro que chegou entretanto um brinquedo novo que quero, QUERO ir experimentar, mas não consigo....
Este é o Brady (sim, dou nomes aos meus arcos) e já fiz umas espectaculares 12 flechas com ele. Uma loucura....que me deixou de rastos. Mas já posso dizer que vamos ser muito felizes juntos. :)

O porquê do nome é uma private joke, mas vão ouvir-me dizer muitas vezes: "Brady, faz-me um 10!"

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Anti-social


A afonia é uma coisa que me assiste.
Assiste-me frequentemente, sempre depois de uma constipação e quando esta se transforma em mega-gripe, assiste-me durante vários dias seguidos.

A única cura (e não me venham com mezinhas que já as conheço todas e nenhuma funciona) é ficar caladinha, e esperar que passe.

Todos os anos é igual, e todos os anos me deparo com pessoas diferentes, mas defeitos iguais.
Se uma pessoa não consegue falar, é mais que óbvio que nos vamos por de volta dela a fazer perguntas intermináveis sobre "como ficaste assim?" (foi de propósito) e "não estás a tomar nada?" (não, gosto de estar assim) e a despejar receitas caseiras de casca de cebola, xarope de cenoura e pêlo de morcego morto à chapada em noite de nevoeiro, não é?

Daí que nestes dias mando toda a gente às urtigas, respondo aos bons dias com sorrisos, e às perguntas com silêncios. E se insistem, pego numa caneta e finjo que estou ocupada.

Ser anti-social é um esforço para mim, mas compensa em muito o esforço da crise de tosse que tenho quando tento falar.

Caros leitores, se conhecem alguém afónico, sejam solidários, calem-se também.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Dia dos Engripados

Estão a ver o edredon de cá, azul e branco? Sou eu!
Estão a ver o edredon de lã, cor de laranja? É o Homem-Que-Não-Assina!
Foi assim que passámos o dia e a noite de S. Valentim, cada um no seu edredon, a lidar com a maior gripe de que há história na casa Dos-Que-Não-Assinam. Romântico, não é?

Mas nem todos os habitantes da casa acharam que esta escolha de programa foi má....basta reparar no meio dos edredons....

Como é que é possível dormir tantas horas seguidas? (e desculpem lá a qualidade da foto, foi tirada ao lusco fusco)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Vai ser assim

Eu - Querido, querido! Comprei-te um arco novo para o Dia dos Namorados.
Ele - Um arco? Para que raio quero eu isso?
Eu - Não queres? Dá cá!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Livre arbítrio

Hoje acordei com vontade de curar o mundo.

Mas o mundo não se quer curar, prefere ficar magoado, ressentido, afastado, fechado na sua doença antiga, sem vontade de aprender coisas novas, sem vontade de sair e viver.

Não se pode ajudar quem não quer, o primeiro passo da cura é a vontade, e a vontade só pode haver quando se olha para fora, quando se abre o coração, quando nos damos, quando nos expomos.

Mas curar tambem é expor, tambem é dar, é partilhar a nossa cura, a nossa vontade, por isso, mundo, não tenhas medo de te curar, não te vais abrir sozinho, haverá alguém com tanto a perder como tu.

Hoje acordei com vontade de curar o mundo, mas o mundo não se quer curar.

Vou assim voltar ao "meu" mundo, onde sei que posso ajudar.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

A cultura é relativa

Gosto de forma como as massas se identificam rapidamente com uma música que sai um pouco do ritmo comercial e de repente "isto é que é música",compram o CD e tudo e afirmam altivamente que "sou fã há muito tempo e esta nem é das melhores", mesmo que se trate de um dueto inédito, como é o caso da Carminho e do Pablo Alboran.

Acontece frequentemente e a receita é fácil. Todos de lembram de certeza dos tempos em que o "Nessun Dorma" do Bocelli passava lado a lado com os Maroon 5, Radiohead e The Chemical Brothers, nas rádios pop. E a Marisa consegue frequentemente este truque.

O problema é quando se encontra uma destas pessoas de gosto musical refinado a trautear ou mesmo a dançar ao som do altifalante do telemóvel que grita "Ai se eu te pego, ai, ai, se eu te pego!"

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Tens a certeza?

Na sexta-feira decorreu uma flash-mob na Baixa contra a homofobia e sabendo eu da "dedicação" que o Homem-Que-Não-Assina tem à causa, convidei-o logo.
A resposta foi pronta:

- Fosga-se, ainda bem que vou estar na Caparica a essa hora.

Fofinho....não sei se a Caparica será melhor....

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Meninos!

Esta notícia da vaga de frio que se aproxima, em conjunto com o desejo do Homem-Que-Não-Assina de ir à Expo-Moto na Batalha este fim de semana, faz-me lembrar uma história.

Foi num domingo qualquer de Dezembro, o frio nem apertava muito como agora e estava um lindo dia de sol:


- Vamos ao Cabo da Roca?
- 'Bora!

Andámos 5 km até à bomba de gasolina mais próxima de casa. Desmontámos com dificuldade tal era a dor aguda do frio nos joelhos e com a boca ainda entorpecida concordámos:

- Se calhar vamos só até à Ericeira!
- 'Bora!